Pronex Rede Dengue tem R$ 22,7 milhões

O CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) lançou ontem o edital do Pronex Rede Dengue (Programa de Apoio aos Núcleos de Excelência) para a implantação de uma rede interregional e interdisciplinar de pesquisas em dengue. Ao todo, serão destinados R$ 22,7 milhões para a rede, dos quais R$ 600 mil são oriundos da Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas).
Trata-se de um programa de grande alcance, pois envolve 20 FAPs de todo o país, que vão juntas destinar R$ 12,7 milhões para a implantação da rede. O CNPq, por meio do FNS (Fundo Nacional de Saúde), vai participar com R$ 5 milhões, repassados pelo Ministério da Saúde, por intermédio do Decit/SCTIE (Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos).
De acordo com a diretora técnico-científica da Fapeam, Patrícia Sampaio, o objetivo do programa é impulsionar a pesquisa científica básica e aplicada em dengue, respondendo às demandas do país e das unidades da federação. “Essa é uma iniciativa pioneira de que a Fapeam participa em conjunto com as outras FAPs do Brasil. O esforço aqui é reunir as competências em torno da pesquisa, especialmente dos processos associados à pesquisa na profilaxia da dengue”, explicou.

Estímulo ao intercâmbio

Entre os objetivos da Rede Dengue está o estímulo ao intercâmbio entre instituições que concentram competências e a otimização dos recursos e do compartilhamento de infraestrutura para a pesquisa. As inscrições devem ser feiras até 11 de janeiro de 2010. A divulgação dos resultados no Diário Oficial da União e na página do CNPq está prevista para a partir do dia 22 de março de 2010 e o início da contratação das propostas aprovadas acontece em 26 de abril do próximo ano.
A diretora explicou que serão concedidas bolsas nas modalidades IC (Iniciação Científica), AT (Apoio Técnico à Pesquisa), GM (Mestrado), EXP (Extensão no País), DTI (Desenvolvimento Tecnológico Industrial), PDJ (Pós-Doutorado Júnior) e PDS (Pós-Doutorado Sênior). Os recursos referentes às bolsas serão incluídos, automaticamente, pelo Formulário de Propostas Online, no orçamento do projeto.
Um detalhe importante do edital é que o proponente não pode ser coordenador de INCT (Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia), do CNPq. Além disso, deve ter título de doutor, com o currículo cadastrado na Plataforma Lattes, e vínculo empregatício com a instituição executora. Os projetos devem ser encaminhados exclusivamente por meio do Formulário de Propostas Online, disponível na Plataforma Carlos Chagas. As propostas têm prazo máximo de três anos para execução. Os detalhes do edital podem ser conferidos no site: http://www.cnpq.br/editais/ct/2009/073.htm.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email