Projetos industriais mostram PIM na ativa

A crise da covid-19 não parou a Zona Franca de Manaus. O CAS (Conselho de Administração da Suframa) analisa 29 projetos industriais e de serviços, nesta quinta (2), em sua 292ª reunião ordinária. As dez iniciativas de implantação e 19 de atualização, diversificação e/ou ampliação somam aportes de US$ 112 milhões e preveem geração de 1.148 novos postos de trabalho no PIM. 

Dois dias antes, foi a vez do Codam (Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas) aprovar – em sua primeira reunião virtual – investimentos de R$ 1,639 bilhão, distribuídos por 55 projetos, dos quais 26 aprovados ad referendum, com previsão de geração de 3.113 empregos no Polo, em um período de até três anos. Vale notar que algumas das propostas submetidas ao Codam passam hoje pelo crivo do CAS. Em comum, ambas as pautas apontam para a diversificação e interiorização dos investimentos no Estado.

Entre os dez projetos de implantação a serem analisados hoje, um dos destaques vem da Duxteno Indústria de Plásticos, visando à produção de bens intermediários de matéria plástica em geral, com investimento total de US$ 11,7 milhões e expectativa de gerar 198 empregos. A Specialized Brasil está injetando US$ 1.5 milhão para fabricar bicicletas elétricas, com expectativa de criar 21 empregos.

Entre os projetos de diversificação, atualização ou ampliação estão o da Cal-Comp (máscaras descartáveis, com aporte de US$ 1 milhão e 12 empregos), Positivo Tecnologia (aparelhos para análise de amostras de sangue por meio de radiações ópticas, com US$ 1.2 milhões e quatro vagas) e Dowertech da Amazônia (registradores e medidores de energia elétrica, com US$ 30.4 milhões e 197 empregos).

Interiorização de investimentos

Os projetos da Cal-Comp e da Positivo já haviam ganhado o aval do governo do Estado, na reunião do Codam, nesta terça (30). O evento ganhou o acréscimo de cinco projetos em pauta complementar, entre os quais os da Matupi (produção de queijo, com R$ 1,8 milhão) e da NCR Brasil (máquinas de ponto de venda, com R$ 23 milhões). A Philco, por sua vez, ganhou sinal verde para aportar R$ 16 milhões na fabricação de celulares digitais.

A interiorização também norteou a pauta. Foram aprovadas ainda propostas para a produção de polpa de fruta, gelo, condimentos e especiarias e azeitona em conserva e mel. Em Tapauá (a 449 km de Manaus), a Abufari Coleta de Produtos Florestais obteve autorização para produzir castanha do Brasil desidratada, com injeção R$ 956 mil em capital, com a promessa de contratar 31 trabalhadores.

O titular da Sedecti (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação), Jório Veiga, comemorou o saldo da reunião e salientou que, além de trazer produtos novos que ampliam o portfólio do PIM, a pauta apontou também para maior aplicação de capital no interior, fomentando o agronegócio. Ele dá como exemplo o projeto da Matupi, que conta com verticalização em seus processos e produção leiteira em Apuí (distante km) 

“Eles produzem desde os garrotes, fazem a produção de leite, fabricam o queijo e irão faturar e embalar aqui, de forma igual ao que vem do Sudeste. É importante dizer que, em meio à pandemia, fizemos um esforço importante para que todos os projetos fossem recebidos e analisados. Não tivemos a reunião em abril, mas os 24 projetos aprovados nas reuniões técnicas foram aprovados ad referendum. Voltamos ao calendário bimestral, mesmo tendo a primeira reunião virtual do Codam”, comemorou.

Independência e otimismo

Para o presidente do Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas), Wilson Périco, as pautas de ambas as reuniões apontam para a confirmação de que o modelo Zona Franca é uma “grande alternativa” para o país na atração de investimentos produtivos. E, no entendimento do dirigente, a diversificação de segmentos do Polo Industrial de Manaus é sinalizada pelos projetos é a confirmação disso.

“As empresas estão se esforçando para trazer novidades para o PIM. Precisamos atrair novos investimentos também, com outras famílias de produtos, para sairmos desse tripé que temos nos subsetores eletroeletrônicos, de duas rodas e relojoeiro. É importante também termos atividades além dos muros da capital. Esse projeto na agropecuária é admirável. Temos que olhar com muito bons olhos a viabilidade de atrair investimentos para tirarmos o Estado dessa dependência de Manaus”, frisou.  

Na mesma linha, o presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Antonio Silva, considera que a diversificação de produção proporcionada por ambas as pautas como um fato “bastante alvissareiro” para o PIM, além de confirmar que o modelo ZFM é, cada vez mais, uma boa opção de investimento, principalmente no atual ensaio de recuperação de investimentos e empregos, na sinalização do período pós-pandemia. 

“Acredito que temos todas as condições de atrair mais investidores, dado o nosso estágio de industrialização. Temos que estar sempre em consonância com novas tecnologias. Quando me refiro a novas tecnologias quero, na verdade, dizer que temos possibilidades concretas de inovar e sermos protagonistas de uma nova arrancada. Otimismo não nos falta”, asseverou.

Foco na pandemia

A reunião de hoje é a terceira do Conselho de Administração da Suframa em 2020 e será presidida pelo titular da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, além de contar com a presença do novo superintendente, Algacir Polsin, pela primeira vez. O dirigente considera que a os desafios trazidos pela crise da covid-19 são grandes, mas também proporcionam oportunidades e dá como exemplo a abertura do leque do PIM proporcionada pelas inciativas da Positivo e da Cal-Comp. 

“Toda a pauta está bastante rica, com investimentos importantes, sobretudo, em segmentos tradicionais como eletroeletrônico e componentista, bem como em outros em franca expansão, como é o caso de veículos elétricos. Embora o momento ainda seja de prudência e cautela, sabemos que temos que incrementar ainda mais o ritmo de aprovação desses relevantes projetos, que irão trazer, com certeza, mais investimentos e empregos para nossa região”, afiançou o superintendente, em texto distribuído pela assessoria da Suframa.

Marcado para começar às 10h30 (horário de Brasília) de hoje, o encontro contará ainda com a participação de conselheiros representantes de diversos ministérios, entidades de classe e parlamentares, entre outros. Em virtude das medidas de prevenção adotadas para o enfrentamento à pandemia ocasionada pela Covid-19, o evento será realizado por meio de videoconferência e poderá ser acompanhado em tempo real no canal oficial da Suframa no YouTube (http://www.youtube.com/suframanews).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email