Projeto ensina artesãos a transformar meias em acessórios de moda em Alagoas

Quem não tem meias que faltam um “pé”? Agora, em Alagoas, a meia que sobra tem outro destino que não é o lixo. Ela pode se transformar em novos produtos artesanais. É assim que funciona o Projeto Meias Órfãs, desenvolvido pela estilista franco-brasileira Márcia de Carvalho
Ela estará em Maceió para coordenar uma oficina de design entre alunos franceses da Escola de Moda e artesãos alagoanos de Marechal Deodoro. Até o dia 9 de novembro, os participantes da oficina irão aprender como desfazer as meias órfãs e transformá-las em renda.
O projeto vem para diversificar, ainda mais, a produção artesanal alagoana, bem como melhorar o design de seus produtos com ideias inovadoras. Entre as peças confeccionadas dentro do projeto estão echarpes, chapéus e outros acessórios de moda. Todo o material será desenvolvido com as artesãs alagoanas que trabalham rendas de filé e serão expostos em Paris.
De acordo com a coordenadora do projeto de Artesanato do Sebrae/AL, Jacqueliny Martins, um consultor da Instituição será capacitado para que possa, posteriormente, disseminar o conteúdo aprendido para outros artesãos.
“Um de nossos consultores estará presente nessa oficina, em que o conhecimento ali adquirido será empregado nas associações de artesãos onde o Sebrae desenvolve algumas ações. Esperamos com isso aumentar a diversidade e competitividade do artesanato alagoano, com a construção de produtos inovadores”, disse Jacqueliny.
No mesmo período da oficina, a estilista acompanhará a montagem de um ateliê em Marechal Deodoro, na sede do Ifal (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas), onde será realizada a oficina, para a exploração das possibilidades de linguagem e desenvolvimento do artesanato alagoano.
O projeto Meias Órfãs é desenvolvido desde outubro de 2008 em Paris por Márcia de Carvalho. Em Alagoas, conta com o apoio do Governo de Alagoas, por meio das secretarias de Estado do Desenvolvimento Econômico, Energia e Logística (Sedec), do Planejamento e Orçamento (Seplan) e da Cultura (Secult), o Sebrae/AL, a Braskem, a Prefeitura de Marechal Deodoro e o Ifal, além das empresas Fika Frio, Norvinco e Etno Botânica e da Aliança Francesa
A implantação do projeto em Alagoas faz parte das ações de comemoração ao ano da França no Brasil, uma iniciativa dos governos dos dois países para aprofundar as relações bilaterais no âmbito cultural, acadêmico e econômico. O Ano do Brasil na França, ocorrido em 2005, mobilizou mais de dois milhões de franceses e teve como resultado um aumento de 27% de turistas franceses no Brasil e mais de US$ 450 milhões em produtos brasileiros exportados para França.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email