Programas agrícolas do Amazonas são destaques em evento em Brasília

Ações do governo do Estado de apoio aos APLs (Arranjos Produtivos Locais) no Amazonas, executadas por intermédio da ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável), foram destaques na Mesa Redonda da qual participou como palestrante o diretor-presidente da Agência, Valdelino Cavalcante, que defendeu a sustentabilidade dos programas de produção regional de carteiras escolares e de regionalização da merenda escolar, com alimentos oriundos da agricultura familiar, atividade em fase de crescimento no Estado do Amazonas.
O evento fez parte da 4ª CBAPLs (Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais) que discutiu, no período de 27 a 29, Centro da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio, 902 bloco C, Brasília, temas relacionados com a sociobiodiversidade com foco na “Inovação, Desenvolvimento e Sustentabilidade – Novas Formas de Olhar o Espaço Produtivo”. O objetivo é aprimorar as políticas públicas e estimular o desenvolvimento local, promovendo a troca de informações e de experiências no desenvolvimento das empresas e empreendedores organizados em APLs.
A ADS, órgão vinculado à SDS (Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável), participou da conferência a convite do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior que coordena o grupo de trabalho permanente para APL.
Os programas e ações desenvolvidas pelo governo do Amazonas como os de regionalização da merenda escolar e de móveis escolares, além da parceria com o Exército Brasileiro através da 12ª Região Militar para regionalizar o racho nas unidades militares foram os que mais chamaram a atenção da plateia. Para o presidente da ADS, os programas estão se consolidando como modelo econômico com garantias de geração de emprego e renda para milhares de famílias que praticam as atividades agrícolas no Amazonas. “Acreditamos nesse modelo chamado de Zona Franca Verde, como uma garantia futura para a população do Estado do Amazonas”, frisou.
Outra atividade que chamou a atenção no evento foi o extrativismo da castanha certificada de Manicoré, através da Coovema (Cooperativa Verde) presente na conferência, seguida da extração dos óleos vegetais, pesca extrativa da reserva de Mamirauá.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email