Programa oferece capacitação para a indústria 4.0

Por meio de cursos oferecidos por instituições de ensino e pesquisa, programa federal disponibiliza capacitação técnica para ensino médio, graduação e pós-graduação. O objetivo é investir na capacitação de mão de obra para atuar na área de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) dentro do conceito indústria 4.0. A qualificação será realizada por meio de investimentos vindos da Lei de Informática e terá a Fundação de Apoio Institucional Muraki, como uma das instituições que vão oferecer os cursos.

“O Amazonas depende muito da Zona Franca de Manaus, por isso, faz-se necessário encontrar novos meios na matriz econômica do Amazonas. Sendo assim, o programa é uma ação do governo federal para formar uma massa crítica em outras áreas dos campos do saber e das potencialidades econômicas da região”, explica o engenheiro e coordenador do Programa Prioritário da Fundação de Apoio Muraki, Fernando dos Santos Moreira Junior,

A fundação vai oferecer cursos voltados para o modelo Indústria 4.0, que abordarão temas, como: Learn Manufacturing, Big Data, IoT (Internet das Coisas), eletrônica digital, entre outros. Segundo Fernando, os cursos  são credenciados pela Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) que recebem financiamento das empresas instaladas no PIM (Polo Industrial de Manaus). A finalidade é capacitar os funcionários das empresas que financiam os projetos, e oferecer oportunidade para aqueles que buscam uma vaga no mercado de trabalho.

“A Lei da Informática abrange o investimento na área de pesquisa e desenvolvimento, contudo, também abrange a área de recursos humanos. É preciso investir na capacitação das pessoas para trabalhar nessas áreas de pesquisa e desenvolvimento, pois, sem a força de trabalho de pessoas qualificadas, que são a base fundamental, principalmente em relação à Indústria 4.0, não há como ter avanço e se adequar às mudanças”, destaca Fernando.

Entre os destaques do cursos, está o programa social de educação tecnológica, focado no ensino médio técnico, que oferece cursos de informática, eletrônica e mecatrônica para jovens, ofertado pela Fundação Matias Machline. Além deste, a Ufam (Universidade Federal do Amazonas) vai oferecer os cursos de especialização em engenharia e gestão Industrial e especialização em IoT (Internet das Coisas). O Itegam (Instituto de Tecnologia e Educação Galileo da Amazônia) abrirá vagas para o curso de mestrado profissional em engenharia de processos. Já o IEL  (Instituto Evaldo Lodi) abrirá vaga MBA em Lean Manufacturing. Outras instituições que se destacam na oferta de cursos voltados para o segmento indústria 4.0, estão o Cetam (Centro Tecnologico do Amazonas) e FPF Tech (Fundação Paulo Feitoza).

“A Lei da Informática abrange o investimento na área de pesquisa e desenvolvimento, contudo, também abrange a área de recursos humanos. É preciso investir na capacitação das pessoas para trabalhar nessas áreas de pesquisa e desenvolvimento, pois, sem a força de trabalho de pessoas qualificadas, que são a base fundamental, principalmente em relação à Indústria 4.0, não há como ter avanço e se adequar às mudanças”, explica Fernando.

Como participar do Programa Prioritário?

Todos os cursos do PPFRH (Programa Prioritário de Formação de Recursos Humanos) são gratuitos e as vagas serão divulgadas através de editais que serão publicados ao longo do ano. “Quando uma empresa financia um projeto, parte das vagas desse curso é destinada aos funcionários dessa empresa, a outra parte das vagas, geralmente, é fornecida em forma de editais, por isso, é preciso que os interessados fiquem atentos e acompanhem o lançamento dos editais no site da Muraki. Não existem dados de inscrições, números de vagas, dentre outras informações mais básicas, por enquanto”, destaca Fernando.

Segundo o coordenador, a expectativa é de ampliar os cursos para o interior do Amazonas e para outros estados da federação da Amazônia Ocidental. “Com relação às expectativas para 2020, estamos praticamente há dois anos atuando com o programa, e, por isso, queremos ampliar esses recursos para o interior do Amazonas e para outros estados. O programa atende diversas áreas do saber, englobando tecnologia, biotecnologia, bioeconomia e outros. A intenção é ampliar esses cursos para todos, abrangendo as mais diversas áreas”, disse.

Parcerias

Novas parcerias estão sendo estudadas pela Muraki para o Programa Prioritário, englobando novas instituições de pesquisa e ensino, bem como, novos cursos. “Estamos incentivando instituições de ensino e pesquisa a fazerem parte do programa. Este ano já conseguimos mais quatro instituições. É muito importante achar outras parcerias para aumentar mais o portfólio e oferecer maior gama de cursos”, finalizou. 

Fonte: Antonio Parente

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email