5 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Programa de transformação digital dos serviços públicos

A modernização é um processo natural da sociedade, que há milhares de anos atrás já passava por mudanças na forma de viver e de se comportar. O famoso naturalista Charles Darwin acreditava na Teoria da Evolução, onde a seleção natural determinava que apenas o ser mais forte e mais suscetível a adaptações pudesse passar a frente seus descendentes.

Se pensarmos dessa mesma maneira, podemos perceber que até chegarmos nos dias de hoje, as questões ambientais determinaram as fisionomias e estrutura corporal que temos atualmente. As constantes mudanças não estão 100% centradas no ser humano, uma vez que o ambiente também influenciava na dinâmica de interação entre os seres que habitavam e ainda habitam o planeta Terra.

Fazendo uma analogia aos dias de hoje, se olharmos para a nossa região amazônica, percebemos que de um lado temos o avanço tecnológico desenvolvido e voltado à capital do estado; de outro, temos os outros mais de 60 municípios espalhados pelo vasto espaço geográfico que o Amazonas possui, sem os mesmos recursos.

A carência de tecnologia e disponibilidades de serviços limitam o funcionamento público de atividades, além de frear o desenvolvimento econômico e geração de empregos que seriam amplamente ofertados caso a realidade fosse outra.

Sabemos que, por conta das peculiaridades da região, é difícil chegar a todos os municípios de forma ágil e completa, mas é necessário que pequenas mudanças sejam feitas para que o ponta pé inicial seja dado.

Com esse pensamento, o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Roberto Cidade (PV), transformou em lei o Projeto nº 399/2020, que tem sua autoria e promove o Programa de Transformação Digital dos Serviços Públicos, visando disponibilizar serviços públicos do Estado através dos meios eletrônicos de comunicação. 

É um grande passo para a administração pública, uma vez que o setor foi bastante prejudicado pela pandemia do novo coronavírus. Recebendo a aprovação no último dia 10 de janeiro, o projeto chega em um momento delicado para o país e o mundo. O avanço da Ômicron resgata o sentimento de medo da população, que busca maneiras de frear a proliferação do vírus. Mesmo com o número de falecidos seja de menor incidência graças ao avanço da vacinação no estado, o contágio aumentou devido a mutação ser mais transmissível. 

Adaptar os meios e serviços públicos para a forma eletrônica adiciona um novo capítulo no avanço da nossa história, uma vez que as prestadoras de ofício estarão mais perto da população. “A pandemia, obviamente, foi algo muito ruim, mas de tudo se tiram lições. E uma das lições que tiramos na pandemia é que é necessário o poder público se modernizar e ter uma relação mais rápida e acessível com o cidadão. Esse projeto visa exatamente estabelecer esse novo momento”, frisou o deputado Roberto Cidade.

Outro ponto que também foi levado em conta na hora da aprovação da lei foi a questão financeira. De acordo com estudo feito em 2018, a média de gasto no mundo com atendimento presencial foi de US$ 14 dólares, já o atendimento telefônico foi de US$ 6,3 dólares e o atendimento online somente US$ 0,39. 

A diferença de valores aumenta por conta da conversão do dólar para o real, e também levando em conta o número de municípios do estado, os benefícios financeiros se sobressaem devido a distância entre as localidades. Ou seja, o gasto será reduzido ao máximo se você puder resolver um problema via eletrônico, sem precisar gastar dinheiro com passagem, hospedagem e outros recursos.

Vale lembrar que no Brasil já temos um exemplo a ser seguido. No estado de Minas Gerais, a transição da administração pública para a era digital além de beneficiar a sociedade, gerou impacto positivo aos cofres públicos. ‘’Em 2018, Minas gastou R$ 5,72 com telefonia, R$ 0,07 com atendimento online e R$ 0,35 com atendimentos em totens, ou seja, o cidadão conseguir realizar os serviços online vai trazer economia para a administração pública e o governo poderá investir recursos em outras áreas. É bom para todos”, finalizou Cidade.

Agora que o primeiro passo foi dado, é preciso trabalhar as formas de modernização dos municípios amazonenses. Temos a esperança que a chegada da internet 5G contribua tanto com a evolução tecnológica das cidades quanto com a oferta de serviços públicos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email