2 de março de 2021

Produtos de climatização devem ter alta no verão do Amazonas

O segundo semestre de 2020 deve ter um ritmo de crescimento acima de 40% para as lojas de varejo que comercializam produtos voltados à climatização de ambientes. As vendas vertiginosas vem ganhando força em função das temperaturas elevadas na capital amazonense. 

Com o verão amazônico, essa tendência deve ser ainda maior nos meses de setembro e outubro, segundo o presidente do Sindivarejista Teófilo Gomes. “A nossa expectativa é um impulso significativo de um modo geral até novembro, quando inicia o período de chuvas na região”. 

Em uma das redes de móveis e eletrodomésticos de Manaus, os ventiladores foram responsáveis por um aumento entre 40% a 60%, este ano, a depender do modelo. Já os aparelhos condicionadores de ar condicionados tiveram um crescimento de 20% a 80%. Os dados correspondem aos meses de janeiro a março, com uma retomada em julho. 

O superintendente comercial da TVLar, Humberto Oliveira, detalhou sobre os itens mais comercializados e afirma que os ventiladores ainda são os mais demandados e a escolha do ar-condicionado split ao invés do condicionador de ar de janela. “A gente percebe uma migração dos condicionadores de ar de janela por splits, principalmente nos splits de 12.000 e 18.000, então isso é uma tendência deste ano. O consumidor está mais propenso a comprar de uma potência maior para atender melhor a sua necessidade. Em relação aos ventiladores, os tipos com estruturas de coluna, é um produto com tendência de crescimento bem significativa, só ele segue sustentando uma alta de 60%”,  detalhou o superintendente comercial da TVLar, Humberto Oliveira.

Conforme o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos, do INPE, o Amazonas vai seguir uma variação de temperatura entre 34 a 37 graus. O que deve manter o aquecimento ainda maior do setor nos próximos meses.

A demanda pelos produtos às lojas já refletem no movimento dos estoques que estavam parados por conta da pandemia e ainda,  no reforço de mix relacionados à climatização. 

É o que garante o gerente regional da rede de lojas, Anderson Silva. “É o momento de se desfazer dos estoques, além de aproveitar as altas temperaturas para maximizar a vendas dos produtos foco para o período do verão amazonense”.

Ele considera que o potencial de compra do consumidor é motivado pelo auxílio  emergencial, o que coincidiu com  as vendas no varejo para o período considerado de maior calor na região.  De acordo com Silva, as vendas estão bem significativas e a estimativa é um aumento 10% a mais que as outras épocas

De janeiro a maio foram produzidos 1.596.940 unidades tipo split system e crescimento de 34,67%. Já tipo janela 156.131 unidades e crescimento de 66,35%. Os dados fazem parte dos indicadores do PIM ((Polo Industrial de Manaus).

Crise freou o setor

Apesar dos produtos apresentarem bom desempenho de vendas no Amazonas, desde o início da pandemia o setor apresentou fortes quedas, quem afirma é a Eletros, associação que reúne os fabricantes de eletroeletrônicos. A associação afirma que o setor amargou grandes perdas. Sobre a performance do Amazonas, a associação considera que a melhora deve ter sido de julho pra frente

Sobre as grandes perdas, a produção do ar- condicionado de janela, por exemplo,  registrou no primeiro trimestre a produção de 115.287 unidades, no entanto, entre abril e maio deste ano, a produção apontou  65.977, uma queda de 42,77%.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email