15 de abril de 2021

Produtor musical busca profissionalizar artistas manauenses

“Eu não vendo sucesso, vendo profissionalismo. Ninguém tem o caminho do estrelato. Meu ofício é profissionalizar bandas e artistas”.

É desta forma que o empresário e produtor cultu–ral Ita Melo define seu trabalho frente ao primeiro Estúdio-Café 24 horas do país: o Projeto Expresso 24. Muito mais que um estúdio musical com padrão internacional, o Expresso 24 é um projeto que visa preparar, profissionalizar e lançar no mercado músicos e bandas locais nos mais variados aspectos, que vão desde a escolha do repertório até a postura no palco e criação de identidade.
O caminho que leva uma banda ou um artista ao profissionalismo, de acordo com o Expresso 24, é composto por 4 etapas. Na primeira, os músicos/bandas são avaliados e monitorados constantemente através das gravações dos ensaios, tanto em áudio quanto em vídeo. O objetivo é fazer uma verdadeira garimpagem de talentos, lapidando-os e preparando-os para uma próxima etapa. Depois dessa fase os músicos/bandas trabalham suas deficiências com dicas de postura e até mesmo ajuda psicológica. É nesta etapa também que são definidos o visual e a identidade dos artistas. Na terceira fase os artistas são preparados para as apresentações em estúdio o no palco. E para finalizar, a quarta etapa conta com o acompanhamento dos artistas em apresentações nas casas de shows e gravação de CDs. Cada uma dessas etapas dura cerca de dois meses, com dois ensaios semanais. Para o baterista da banda Catraia, Tonny Peixoto, o trabalho desenvolvido pelo Expresso 24 junto à banda foi fundamental na evolução de toda a banda. “A gente aprendeu bastante. É muito bom ter a opinião de alguém mais experiente no ramo musical que nos ajude a reconhecer nossos pontos fortes e pontos a melhorar”.
No Expresso 24 não há restrições com relação a estilos musicais. As bandas locais agenciadas pela produtora incluem ritmos que vão desde o Gospel até o Heavy Metal, passando pelo POP, rock, reggae e pagode. “Aqui não fazemos diferença. A produção musical é universal”, afirma Ita.
Entre os projetos atualmente desenvolvidos pelo estúdio está o “Adotar”, no qual bandas e artistas agenciados pelo Expresso 24 serão “adotados” por casas de espetáculos e empresas patrocinadoras. Segundo o produtor, a ideia é beneficiar as quatro partes envolvidas: a banda, que receberá apoio para divulgar seu trabalho e se apresentar; as casas de shows, que poderão incluir apresentações de qualidade em dias de pouco movimento; as empresas patrocinadoras que terão suas marcas divulgadas nos vídeos e apresentações das bandas “adotadas” por elas; e, por fim, o próprio Expresso 24, que também terá seu nome divulgado. Ita Melo revela também que a ideia do Projeto adotar surgiu devido à grande quantidade de bandas de qualidade que passam pelo estúdio. “Eu não tenho condições financeiras de adotar todas as bandas que eu gostaria, por isso estou procurando parceiros”, conclui. Entre os artistas que estão aguardando por adoção estão as bandas “Por Acaso” (pagode) e “Necro Blood” (heavy metal), e a cantora pop Fernanda Soares.
O próximo desafio do Projeto Expresso 24 é a produção de vídeos. A proposta é que tudo seja produzido no próprio estúdio, desde o roteiro (baseado na letra das músicas e com a participação dos artistas), até a edição e fina‑ lização do vídeo. Uma das ideias é divulgar os vídeos de bandas que passam pelo estúdio pela internet e, entre esses vídeos, os 13 melho–res serão escolhidos para a produção de um DVD e/ou Blu-ray, visando divulgação nacional e internacional.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email