A produção industrial brasileira apresentou uma expansão de 4,8% no primeiro semestre do ano, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em junho na comparação com maio (com ajuste sazonal), a indústria cresceu 1,2% e ficou acima com as expectativas de analistas consultados pela reportagem, que previam variação em torno de 1%.
Na comparação com o mesmo mês de 2006, a indústria teve crescimento de 6,6% na produção. A variação também ficou acima das estimativas (em torno de 5,8%). A variação de junho foi a maior desde dezembro de 2004 (8,3%).
A taxa anualizada (referente aos últimos 12 meses) acumula um crescimento de 3,9%. No primeiros seis meses do ano, os principais destaques positivos para a produção industrial vieram de máquinas e equipamentos, com alta de 17,5%. Além disso, veículos automotores (8,9%), metalurgia básica (8,2%) e alimentos (3,3%) foram outras categorias que também se destacaram.
Por categoria de uso, os bens de capital tiveram o maior dinamismo, com alta de 16,7%. Os bens de consumo duráveis tiveram alta de 4,4% e os bens intermediários, de 4,1%.
Segundo o IBGE, no segundo trimestre, a atividade industrial cresceu 5,8%, ritmo superior ao do primeiro trimestre, quando houve alta de 3,8%. A aceleração foi observada, segundo o IBGE, em todas as categorias de uso.
Na comparação com ajuste sazonal, os principais destaques foram refino de petróleo e produção de álcool (3,6%), farmacêutica (6,7%), veículos automotores (1,2%). Por outro lado, as principais pressões negativas partiram de alimentos (-0,7%), bebidas (-1%) e fumo (-5,7%). Por categoria de uso, os bens de capital avançaram 1,2%. Os bens intermediários, que detêm o maior peso no índice, subiram 0,8%. Já os bens de consumo duráveis tiveram alta de 2,2% e os bens de consumo semi e não-duráveis avançaram 2,5%.
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou os novos números sobre o crescimento da produção industrial para cutucar os críticos da política econômica que afirmam que o crescimento é baixo.
“Dados do IBGE mostram que o crescimento não é tanto quanto gostaríamos, mas não é o que os pessimistas diziam. Aqueles que ficam torcendo para que a galinha não ponha o ovo”, afirmou em discurso.
De acordo com o IBGE, a produção industrial brasileira apresentou uma expansão de 4,8% no primeiro semestre do ano, a maior variação desde o primeiro semestre de 2005 (5,0%).
Na cerimônia de sexta-feira, foram apresentados os projetos de saneamento básico que fazem parte do PAC (Programa para Aceleração do Crescimento) e que serão feitos em conjunto com Estados e municípios. O presidente Lula cobrou agilidade para a conclusão das obras (R$ 32 bilhões).
“Se vocês não gastarem esse dinheiro bem, daqui a pouco é tudo o que o Tesouro Nacional quer. O jogo está jogado. Os protocolos foram assinados. O dinheiro está disponível. Agora depende, prefeitos, da agilidade de vocês”, afirmou.
Os projetos de saneamento e urbanização de favelas anunciados somam R$ 6,9 bilhões em 71 municípios de 12 Estados e o Distrito Federal.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email