Produção industrial de novembro cai em sete de 14 regiões pesquisadas

A produção industrial de novembro registrou queda em sete das 14 regiões pesquisadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O principal recuo foi verificado no Paraná (-9,1%), onde a produção cresceu 14,1% em outubro.

Também apresentou queda a produção nos Es-tados do Amazonas (-2,6%), Rio de Janeiro (-2,5%), São Paulo (-1,6%), Santa Catarina (-1%), Ceará (-0,8%) e Pará (-0,7%). A média nacional de novembro registrou queda de 1,8%.

Em novembro, a indústria amazonense caiu 2,6% em relação a outubro, na série livre de influências sazonais, após ter avançado 5,4%. Em relação a novembro de 2006, o aumento foi de 7,4%. Os indicadores para períodos mais abrangentes também mostraram avanços: 3,7% no acumulado no ano de 2007 e 3,3% no acumulado nos últimos 12 meses encerrados em novembro de 2007, ambos com ritmo superior ao observado em outubro (3,3% e 2,7%, respectivamente).

O crescimento no índice mensal (novembro 07/ novembro 06) deveu-se à expansão de 6 das 11 atividades pesquisadas. Os destaques foram edição e impressão (73,5%); refino de petróleo e produção de álcool, cujo aumento atípico de 264,6% foi influenciado por uma baixa base de comparação, decorrente das paralisações programadas para manutenção nas unidades produtoras em novembro de 2006; e outros equipamentos de transporte (15,9%). O principal impacto negativo veio de alimentos e bebidas (-12,4%) e, em menor medida, de produtos químicos (-24,8%) e produtos de metal (-11,9%).

No acumulado no ano de 2007 (3,7%), o crescimento da indústria deveu-se, sobretudo, ao desempenho positivo de sete setores, sendo as maiores pressões positivas vindas de edição e impressão (77,2%), outros equipamentos de transporte (18,1%), alimentos e bebidas (12,1%) e máquinas e equipamentos (44,9%). Material eletrônico e equipamentos de comunicações (-18,7%) prosseguiu como a principal contribuição negativa, pressionado pelos itens telefones celulares e televisores.

Nordeste mantém-se estável

A região Nordeste manteve-se estável em relação a outubro. Já o Espírito Santo apresentou a maior expansão (2,6%). Ainda houve expansão da produção industrial de novembro nos Estados de Minas Gerais (1,3%), Bahia (0,9%), Goiás (0,8%), Rio Grande do Sul (0,6%) e Pernambuco (0,6%).

Em relação a novembro de 2006, apenas o Pará registrou queda, de 2%. Nessa comparação, o Espírito Santo teve aumento de 11,6%, seguido de Minas Gerias (9,6%), Rio Grande do Sul (8,7%), São Paulo (8,5%) e Amazonas (7,4%). Esses Estados cresceram mais que a média nacional no período, que foi de 6,7%. No acumulado de janeiro a novembro, todas as regiões registraram crescimento, com destaque para Minas Gerais (8,8%), seguido por Rio Grande do Sul (8%), Paraná (7,1%), Espírito Santo (6,7%) e São Paulo (6,1%). A média nacional no período foi de 6%.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email