Produção de álcool e açúcar tem o maior crescimento da história do país

A colheita total de cana também é a maior da história e está estimada entre 607,8 e 631,5 milhões, ou 8,8% a 13,1% superior à produção anterior, que foi de 558,5 milhões.

Estimulada pela forte expansão do álcool no mercado e pelas perspectivas decrescimento nas exportações, a indústria brasileira vai esmagar entre 558,1 e 579,8 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2008, sendo que de 309,8 a 321,9 milhões são para fabricação do combustível e de 248,3 a 257,9 milhões, para o açúcar. O volume destinado é recorde e representa entre 11,3% a 15,6% a mais que o do período passado.
A colheita total de cana também é a maior da história e está estimada entre 607,8 e 631,5 milhões, ou 8,8% a 13,1% superior à produção anterior, que foi de 558,5 milhões. Além da quantidade da matéria-prima que será transformadapela indústria, serão destinadas 49,6 a 51,7 milhões de cana para outros fins, como sementes e mudas, cachaça, rapadura e alimentação animal.
Os principais motivos desse crescimento são o clima favorável, osinvestimentos nomelhoramento tecnológico das unidades de processamento e oplantio de variedades mais produtivas. Os dados fazem parte do primeirolevantamento da cultura que será anunciado hoje, às 14h30, pelo presidente da Conab, Wagner Rossi, e o secretário de Produção e Agroenergia do Mapa (Ministério daAgricultura, Pecuária e Abastecimento), Manoel Bertone.
O crescimento desta safra também se deve ao cultivo de novas áreas, que são de 7 milhões para 7,8 milhões de hectares, resultado, na sua maioria, da instalação de novas usinas, sobretudo em áreas de pastagens. “O Brasil tem hoje 276 milhões de hectares de terras cultiváveis. Dessas, 72% são ocupadas porpastagens naturais/cultivadas, 16,9% por grãos e apenas 2,8% por cana-de-açúcar.Esse quadro mostra que esta cultura mantém um comportamento normal, compotencial para ser ampliada em áreas de pastagens”, disse o presidente da estatal.

Exportação
da produção
A cana começou a ser moída neste mês nos estados do Centro-Sul, responsáveis por cerca de 90% da produção total. Pela projeção da Conab, o Brasil vai fabricar neste ano entre 26,4 bilhões e 27,4 bilhões de litros de álcool, 14,9% a 19,4% a mais que em 2007. Desses, 4,2 bilhões de litros deverão ser exportados, a maioria (2,5 bilhões de litros) para os Estados Unidos.
A justificativa está no aumento da mistura do álcool à gasolina naquele país e noconsumo interno, onde as frotas de veículos flex-fuel vêm crescendo acada ano. “No Brasil, essa categoria representa 85% das vendas de carrosnovos, onde já são mais de 5 milhões de unidades em circulação”, calculou Rossi.
Já aprodução de açúcar, apesar do crescimento de 8,2% a 12,4% em relação ao mesmoperíodo, ficará entre 33,8 e 35,1 milhões de toneladas. Para concluir o estudo, cerca de 50 técnicos da estatal visitaram, no período de 31 de março a 11 de abril, 361 unidades de produção em todos os estados onde a atividade é desenvolvida.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email