Problema masculino pode estar com os dias contados

Um dos bichos-papões dos homens maduros, que não cuidaram da saúde ao longo da vida, é a impotência sexual. Felizes aqueles que nasceram depois do Viagra, sem falar que a busca pela potência eterna masculina não para.

Manaus acabou de ganhar o Dornier Aries, aparelho com tecnologia alemã que trata, e até cura, a impotência causada por determinados tipos de problemas da saúde. O aparelho é único, e por determinação do fabricante, só terá esse em Manaus, no Urocentro (Centro de Urologia do Amazonas), em Adrianópolis.

O Dornier Aries é fabricado pela Dornier MedTech, com sede em Munique. Há 40 anos a empresa produz produtos e disponibiliza soluções cientificamente comprovados e orientados para urologistas e pacientes.

“O paciente precisa ser avaliado para determinarmos a causa de sua disfunção erétil, porque o Dornier Aires só trata casos provocados por doenças cardiovasculares e endocrinometabólicas, como hipertensão arterial, obesidade, má alimentação e diabetes. Os diabéticos que não se tratam são fortes candidatos a sofrerem de disfunção erétil”, explicou o urologista Giuseppe Figliuolo, presidente da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), seccional Amazonas e quem opera o Dornier Aries no Urocentro.  

Embora o risco de desenvolver uma disfunção erétil, aumente com a idade, os problemas de ereção não são uma conseqüência do envelhecimento nem um indicador real para o desenvolvimento de uma disfunção erétil crônica. O problema tem ligação direta com a saúde física e psicológica e atinge pelo menos 15 milhões de homens no Brasil, segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), o equivalente a 30% da população masculina no país. Ainda de acordo com a OMS, esse é um dos principais temores de 42% dos homens brasileiros.

“Em Manaus não é diferente. De cada dez homens, três ou quatro apresentam o problema e acreditam que é o fim do mundo. A resistência em falar sobre o assunto e o fato de negligenciar a própria saúde, desde cedo, torna o problema ainda maior, chegando a afetar aspectos emocionais do indivíduo, mas o ‘monstro’ não é bem assim”, acalmou o urologista.

Indolor e ainda prazeroso

E para os machos, porém medrosos, Figliuolo adianta que o tratamento é totalmente indolor. Com a ajuda de um aplicador especial, uma área extensa da superfície do pênis e pélvica é tratada com as ondas de choque proporcionadas pelo Dornier Aries. Essas ondas estimulam o crescimento de vasos sanguíneos.

“As seções são realizadas aqui mesmo, na clínica, com duração de 15 a 20 minutos, uma a duas vezes por semana. Entre a segunda e terceira seção, 45% dos pacientes já começam a comprovar os resultados. Após a sexta seção, esse número sobe para 80%”, revelou.

As ondas de baixa energia atuam na área de aplicação e não causam qualquer cicatriz na pele. O aparelho gera um fluxo de energia e freqüência de ondas de baixa energia de grande precisão, constantes e reprodutíveis. Estas são transmitidas através do aplicador de forma precisa nas regiões específicas. Além da superfície do pênis, atuam na musculatura pélvica mais profunda, estimulando o crescimento de vasos sanguíneos nessas duas áreas, proporcionando a circulação sanguínea necessária para o pênis alcançar e manter uma ereção satisfatória.

“Após o tratamento, o paciente pode retornar às suas atividades normais e nem é necessária a abstinência sexual”, informou.

Adultos jovens não estão livres

A disfunção erétil é caracterizada pela dificuldade de manter a ereção peniana, em pelo menos 50% das tentativas, por tempo suficiente para permitir a penetração e a satisfação sexual. Se isso ocorre por um período de tempo igual ou superior a seis meses, chegou a hora de procurar um médico. Existem também as disfunções eréteis ocasionais, quando os homens são afetados pelo estresse. Estas somem espontaneamente após superado o estresse.     

A disfunção erétil ocorre devido a um desequilíbrio entre a contração e o relaxamento da musculatura lisa do corpo cavernoso. A ereção é o resultado de um trabalho conjunto do sistema nervoso vascular e hormonal. As células das artérias penianas recebem a mensagem para relaxar o tecido muscular, propiciando aumento no fluxo sanguíneo e, assim, inchando o órgão. As causas também podem estar ligadas a fatores emocionais e psicológicos

Dados da Sociedade Brasileira de Urologia mostram que cerca de 50% dos homens brasileiros acima de 40 anos têm alguma queixa em relação às ereções.

“No entanto, pode ocorrer também em adultos jovens, de 30 anos, por exemplo. Manter atividades físicas regulares e alimentação saudável é uma das formas de prevenção, uma vez que o aumento da gordura abdominal e o sedentarismo são fatores que contribuem para um quadro de disfunção”, concluiu.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email