PricewaterhouseCoopers e TCI firmam aliança estratégica

“Decidimos firmar esta aliança para compartilhar nossas competências na área de BPO e proporcionar mais benefícios aos nossos clientes”, afirmou Wilson Marques, sócio da PricewaterhouseCoopers e líder de outsourcing. O presidente da TCI, Roberto Marinho Filho, explicou que o foco da aliança é a melhoria de processos e o ganho operacional e tecnológico com a contribuição mútua entre as companhias.

PricewaterhouseCoopers e TCI são empresas atentas às demandas do mercado brasileiro de outsourcing que, segundo o IDC, movimentou cerca de R$ 5 bilhões em 2006 e deve crescer para quase R$ 12 bilhões até 2011. De acordo com o Gartner, o segmento de BPO tende a ser um dos setores de maior crescimento no mundo, com taxa acima de 10% ao ano, em função da difusão do conceito de centro de serviços compartilhados e offshoring. O mercado global esperado para 2008 já ultrapassa a casa de U$ 300 bilhões.

O mercado ainda está em franco crescimento no Brasil e na América Latina, impulsionado principalmente pela busca do Brasil como segunda opção de BPO offshoring depois da Índia.

Neste cenário, as duas companhias enxergam a aliança como forma de maximizar suas competências e crescer num mercado em que, cada vez mais, é necessário agregar inteligência e ganhar escala por meio de parceiros estratégicos de sourcing. “O Brasil tem potencial para se tornar um player global de outsourcing. O segmento de tecnologia da informação (TI), um dos braços deste setor, já está dando seus primeiros passos nesse sentido”, afirmou Marques.

Segundo Marques, a área de outsourcing da PricewaterhouseCoopers agrega à TCI os seguintes pontos importantes da cadeia de BPO: recursos humanos, finanças, tributos e contabilidade. Já a TCI, por sua vez, agrega tecnologia, gestão e processamento de documentos, logística de materiais, gestão de estoque, contact center e inovação de produtos e serviços que serão oferecidos pelas duas empresas.

No caso da área consultiva, a contribuição é mútua e visa potencializar os trabalhos tanto da TCI quanto da PricewaterhouseCoopers, já que ambas possuem expertise no setor.

Profissionalização do segmento

A aliança entre PricewaterhouseCoopers e TCI leva em consideração também a inovação e a profissionalização do setor. No Brasil, muitas vezes, o outsourcing, ou terceirização de serviços, é erroneamente associado ao “corte” de pessoal, ou de recursos humanos. Sobre esse fato, Wilson Marques explicou que, na verdade, o ideal e esperado de uma empresa que adere ao outsourcing é que a maioria de seus funcionários apenas troque de posição: “Eles passam da cadeia de suporte para a cadeia de valor”, frisou.

Wilson Marques e Roberto Marinho contam ainda que, como o setor de outsourcing está em constante desenvolvimento, há grande demanda por profissionais especializados nesta área. Para atender a esta demanda, que futuramente pode prejudicar o crescimento do setor, a aliança entre a PricewaterhouseCoopers e TCI envolve ainda a criação de um Centro de Formação Profissional para capacitar profissionais a trabalhar com outsourcing.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email