Prejuízos passam de R$ 8 milhões

Quedas de energia e rompimento de adutoras geram transtornos para o setor produtivo com danos materiais

As frequentes quedas de energia causadas pelas chuvas e rompimentos de adutoras têm causado muito prejuízo aos empresários locais. Uma das empresas que ainda sente os efeitos disso, causando um dano que já chega a R$ 8 milhões, é a Transportadora Jorpam, localizada na avenida Coronel Teixeira, bairro Compensa, zona Oeste na última quinta-feira (21). “Foram diversos materiais e equipamentos perdidos, desde nossos clientes de mudanças residenciais, nossos materiais de expediente até das empresas que alugam os nossos galpões”, destacou Rocklane Carvalho, sócio e gerente da transportadora.
Além disso, a estrutura do estabelecimento encontra-se comprometida. “Corremos o risco de a qualquer momento desabar, com isso o prejuízo poderá ser maior, porisso acabei alugando outro galpão às pressas para transferir tudo para lá”, acrescenta Carvalho, que comenta que se o rompimento da adutora tivesse acontecido à noite o estrago poderia ter causado mortes de funcionários que costumam descarregar produtos nesse horário.
Ele que passou a tarde de ontem, reunido com a Manaus Ambiental, destaca que a empresa tem tomado a frente para a solução do problema e espera o laudo da prefeitura e o da Manaus Ambiental. Entretanto o empresário alerta que há uma adutora próxima e que também corre o risco de rompimento.
Outro estabelecimento que sofreu danos por causa da adutora, foi o bar Porão do Alemão, que além do muro atingido pela força da água, estacionamento destruído, nas noites em que não funcionou, ele deixou de arrecadar de bilheteria aproximadamente R$ 5 mil. Pela casa, circulam aproximadamente mil pessoas todas as noites.
O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, determinou a criação imediata de uma comissão formada por membros da Procuradoria Geral do Município, Seminf (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação) e do gabinete do prefeito para avaliar o contrato com a Manaus Ambiental e os constantes incidentes que vem ocorrendo, com graves prejuízos à população.
Só este ano já aconteceram quatro rompimentos de adutoras, com prejuízos materiais, além do corte no abastecimento para grande parte da população. Na semana passada foram dois acidentes, o da avenida Coronel Teixeira deixou mais de 400 mil pessoas sem água por mais de 24 horas; e outra na rua das Flores, Compensa, que voltou a romper na noite de sábado, 23.
A prefeitura também pretende chamar o Ministério Público e a Arsam (Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas) para analisarem a possibilidade de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta). Enquanto isso, o laudo de capacidade técnica, que deve ser emitido pela prefeitura em favor da Manaus Ambiental, está suspenso até segunda ordem. O laudo é de responsabilidade da Seminf e é parte da documentação exigida em processos de licitação e contratação de serviços em todo o país.

20% de vendas perdidas

Para Ralph Assayag, presidente da CDL-Manaus (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus), fica difícil estimar o dano, isso depende do ramo, horário e localidade que fica o comércio. “No caso dos interrompimentos de energia, há casos que podem chegar a um prejuízo de 20% de vendas perdidas”, disse.
Ele explica que esse problema tende a acontecer no horário do meio-dia às 14h e, ao sábado pela manhã. “E isso atrapalha bastante as vendas do comerciante, porque se o cliente entrar no estabelecimento e não tiver luz, ar-condicionado e como ele efetuar o pagamento, já que o caixa está sem sistema, ele não retorna mais, é uma venda perdida”, comenta o presidente da CDL-Manaus.
Assayag ressalta que as oscilações de energia ainda podem causar outro prejuízo para o empresário, o da perda de produtos e equipamentos. “Queima equipamentos, estraga produtos e fica por isso mesmo, ele acaba tendo que arcar com essa perda”, acrescentou o porta-voz.

Sistema Elétrico será avaliado

A Eletrobras Amazonas Energia informa que realizou, na manhã desta segunda-feira (25), uma reunião com o presidente e diretores da concessionária de água – Manaus Ambiental para analisar as ocorrências dos últimos dias, relacionadas ao rompimento de adutoras na cidade de Manaus.
No encontro, ficou acordado que uma equipe de engenheiros eletricistas da Distribuidora de energia elétrica realizará, na próxima quarta-feira (27), uma avaliação no sistema elétrico das estações de bombeamento da concessionária de água, visando evitar quaisquer transtornos no fornecimento do serviço para a capital amazonense.
A empresa Manaus Ambiental informou que os danos materiais comprovados serão ressarcidos. A empresa justificou que as interrupções de energia foram as principais causas para o rompimento das adutoras.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email