Prejuízos com cheias dos rios é de R$ 23,5 milhões

As perdas no Estado, em razão das cheias na região
sul, somam mais de R$ 23,5 milhões

As perdas do setor produtivo amazonense em razão das cheias dos rios na região Sul do Estado já somam, até esta sexta-feira (13), mais de R$ 23,5 milhões. A informação consta do “Levantamento das Perdas Agrícolas da Cheia de 2015”, divulgado no início desta semana pelo Idam (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas), em parceria com a Sepror (Secretaria de Estado da Produção Rural). O relatório é atualizado todas as sextas-feiras com dados coletados por todas as unidades do Idam no interior do Amazonas.
“Inicialmente, a cheia ainda não atingiu o abastecimento, mas em breve vamos sofrer os impactos na cesta básica. Alguns produtos já apresentam perdas expressivas, como no caso da mandioca e da banana, que são dois produtos que afetam diretamente a nossa cesta básica”, explicou o diretor-técnico do Idam, Ramonilson Gomes.
Apesar de admitir a diminuição da produção de alguns produtos agrícolas que afetam a cesta básica amazonense, Ramonilson Gomes descarta um desabastecimento total de alimentos.
“Vai depender muito da intensidade da cheia. Já temos quantidade expressiva de produtos afetados e sabemos que a enchente está apenas começando. Portanto, realmente corremos o risco de termos a cesta básica bastante afetada em relação a alguns produtos, mas eu não diria um desabastecimento total”, avaliou.

Produtos mais afetados
De acordo com os números do instituto, as duas culturas mais atingidas pela subida das águas respondem quase que pela totalidade deste montante: a da farinha de mandioca, com 3.168,1 toneladas perdidas e prejuízos que superam os R$ 12,6 milhões; e a banana, cujas perdas se aproximam dos R$ 6,4 milhões com 6.382 toneladas afetadas. Os valores já financiados pelo governo do Estado para a produção de farinha e de banana somam R$ 1,34 milhão.
Outras produções que também foram afetadas de forma significativa pela cheia foram: bovinos, aves, cana-de-açúcar, macaxeira, milho, arroz, açaí e café.
O diretor-técnico do Idam acrescentou ainda que o novo relatório, que será divulgado hoje, deverá apresentar prejuízos ainda maiores.
“A prática tem nos mostrado que, no balanço semanal surgem novos municípios afetados. A tendência é de que os prejuízos só aumentem, incluindo municípios que não constam desse relatório, ou novas áreas de município que já sofrem com a cheia”.

Lucas Câmara
[email protected]

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email