Pregão eletrônico será terça-feira

O pregão eletrônico para escolha da empresa que vai operar o quarto entreposto da Zona Franca de Manaus no país, que será instalado no município de Santarém (PA), será realizado nesta terça-feira (25). Até a última sexta-feira (21), 33 empresas haviam adquirido o edital para participar do certame. A expectativa da CGL (Comissão Geral de Licitação) é de que pelo menos 35 empresas busquem participar da licitação.
As empresas interessadas em adquirir o edital devem acessar o site da CGL (www.cgl.am.com.br). Examinados e adquiridos no DGC/CGl, av. Djalma Batista, 346, mediante pagamento de R$ 300, acrescido da taxa de expediente de R$ 2,50. O Pregão Eletrônico será realizado em sessão pública pela internet, através do portal de Compras e licitações do Amazonas (www.e-compras.am.gov.br).
O entreposto de Santarém deve entrar em funcionamento ainda este ano, juntando-se aos outros três já em operação no país: em Resende (RJ), Uberlândia (MG) e Ipojuca (PE). Este último foi inaugurado na última quarta-feira (20).

Pernambuco
O entreposto de Ipojuca disponibiliza uma área de 20 mil metros quadrados, além do pátio para movimentação de cargas. Com os novos armazéns, as fábricas de Manaus ganham agilidade na distribuição de seus produtos na região Nordeste. O secretário-executivo da Receita da Sefaz-AM (Secretaria de Estado da Fazenda do Amazonas), Jorge Jatahy, representou o governo do Amazonas na solenidade de inauguração e informou que a fábrica de baralhos Copag é a primeira a estar apta a operar no novo entreposto. A BAG (Bertoline Armazéns Gerais) é a empresa responsável por operar o entreposto.
“Com esse mais novo entreposto, as fábricas do Polo Industrial de Manaus ganham vantagem logística, o que fortalece a competitividade de nosso parque industrial. A expectativa é que empresas do polo de duas rodas e outras que já operam nos demais entrepostos também atuem aqui”, destaca Jorge Jatahy. Além dele, a inauguração contou com representantes da prefeitura local e do governo de Pernambuco. O vereador Elias Emanuel (PSB) representou a Câmara Municipal de Manaus.
Além de proporcionar uma vantagem logística para as fábricas do PIM, os entrepostos contribuem para o desenvolvimento da economia dos municípios e Estados onde estão instalados. Isso porque geram empregos, atraem empresas de transporte e geram impostos municipais e estaduais, como o ISS (Imposto sobre Serviços) e o ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços). A expectativa é que isso também ajude o modelo ZFM a ganhar aliados fora do Amazonas.
O primeiro entreposto da Zona Franca de Manaus foi instalado em Resende e iniciou suas operações em 2001. O segundo foi o de Uberlândia, com início de atividades em 2010. Por intermédio desses armazéns, os fabricantes atendem, principalmente, os mercados consumidores do Centro-Oeste, Sul e Sudeste.
No ano passado, a Sefaz/AM registrou o envio de mais de R$ 1 bilhão em mercadorias para os dois entrepostos já existentes. Foram R$ 240,289 milhões em mercadorias para o entreposto de Resende, no Estado do Rio de Janeiro e R$ 760,339 milhões em produtos foram remetidos das fábricas de Manaus para o entreposto de Uberlândia, em Minas Gerais.
Segundo o sub-gerente de mercadorias nacionais da Sefaz, Luiz Mendes, atualmente cerca de 30 empresas operam nos dois entrepostos, principalmente nos segmentos de eletroeletrônicos, ar-condicionado, pneus e fitas adesivas; mas não há previsão de quantas empresas devam ser atendidas no novo entreposto. “Somente em abril teremos informações do quanto será movimentado nos novos entrepostos”, conta.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email