Prefeitura e Incra vão beneficiar famílias da região do Tupé

A Semmas (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade) e a Superintendência Regional do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) deram ao trabalho de reconhecimento, para fins de reforma agrária, das populações residentes nas comunidades da RDS (Reserva de Desenvolvimento Sustentável) do Tupé.
Nesta quarta-feira (17), a secretária municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Kátia Schweickardt, se reuniu com a superintendente regional do Incra no Amazonas, Maria do Socorro Marques Feitosa, juntamente com toda a diretoria do órgão, para discutir a regularização fundiária das famílias e como dar a elas acesso a créditos de reforma agrária, créditos agrícolas, além de viabilizar a participação em programas de incentivo à cadeia extrativista dos governos Federal e estadual, a exemplo dos programas de regionalização de Merenda Escolar e Bolsa Verde.
A Semmas vai encaminhar ofício solicitando o reconhecimento ao Incra, que analisará o pleito, publicando a autorização por meio de portaria federal. De acordo com a secretária municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Kátia Schweickardt, essa será uma conquista histórica para as populações que vivem na área rural do município, por meio de uma parceria efetiva que se firma neste momento entre a Prefeitura de Manaus e o Incra.
“Trata-se de um pleito antigo das populações que poderão enfim contar com os benefícios de programas desenvolvidos pelo Incra/Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), proporcionando sustentabilidade nas atividades exercidas nas referidas áreas, e levando melhoria da qualidade de vida das populações na área rural do município, com destaque para a Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Tupé, que está sob a gestão da Semmas”, explicou.
Segundo Kátia Schweickardt, o Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) e a Secretaria Municipal de Produção e Abastecimento (Sempab) deverão se integrar ao processo, com o fornecimento de informações e apoio à realização do Cadastramento Único das populações.
“No caso da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé, todo o processo será feito em parceria e com o acompanhamento/supervisão do Conselho Deliberativo da RDS, que tem uma atuação importante na discussão dos destinos da reserva”, afirmou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email