Preços de smartphones sobem até 266%

Os preços dos smartphones subiram bastante no primeiro trimestre do mercado brasileiro e, como consequência, as vendas caíram. É o que diz o estudo Brazil Mobile Phone Tracker Q1 2020, publicado pela firma de consultoria IDC nesta semana. De acordo com o levantamento, o preço oficial dos aparelhos no cenário nacional subiu 15,1% em janeiro, fevereiro e março em relação ao ano passado, devido à alta do dólar, com média de R$ 1.473.

Os mais vendidos, com 5,1 milhões de unidades, foram os intermediários premium, com preços entre R$ 1 mil e R$ 1.999, o que representa valores 53% mais caros do que em 2019. Os flagships tiveram 1,2 milhão de unidades comercializadas e ficaram entre R$ 2 mil e R$ 2.999, com aumento de 266,5% na comparação com o primeiro trimestre de 2019. Os feature phones, os mais simples, ficaram 62,1% mais caros, custando em média R$ 177.

No primeiro trimestre de 2020 foram comercializados oficialmente no Brasil 10,4 milhões de celulares, 8,7% a menos do que no mesmo período do ano passado. Do total, 9,8 milhões foram smartphones (queda de 7,8% em relação a 2019) e 544 mil foram feature phones (-22,4%). O aumento geral de negócios de 14% em janeiro até animou setor, mas a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) começou a causar um impacto no mercado nacional já em fevereiro, com queda nas vendas de 4%. Em março, o desabastecimento do comércio também ajudou a diminuir ainda mais o consumo, com baixas de 27% em relação a 2019.

No mercado oficial, a receita dos smartphones no primeiro trimestre deste ano foi de R$ 14,5 bilhões, enquanto a de feature phones ficou em R$ 96 milhões —6,2% e 25,9% maiores, respectivamente, do que no mesmo período de 2019. Já nas vendas paralelas não oficiais, de janeiro a março foram comercializados 1,1 milhão de celulares, com alta de 135% em relação ao primeiro trimestre de 2019 —a queda de 10% no preço ofertado no mercado cinza contribuiu para esses números.

As contas do segundo trimestre ainda não foram fechadas, e o levantamento prevê uma queda de 32%, mesmo com datas importantes, como o Dia das Mães e o Dia dos Namorados. O fechamento do comércio deve trazer um grande impacto na receita geral. A busca dos consumidores por mais serviços de streaming e ensino à distância, contudo, teria aumentado a busca dos brasileiros por celulares com mais recursos, o que pode amenizar um pouco a crise no setor nacional.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email