1 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Preços de itens natalinos têm alta variação em Manaus

https://www.jcam.com.br/negociosservicos_cad2_2414.jpg
Em alguns casos, o mesmo item pode custar R$ 11,46 num estabelecimento e R$ 61,75 em outro.

Os preços dos produtos que compõem a tradicional cesta natalina, podem variar em até R$ 50 de diferença sobre o valor praticado entre as grandes redes de supermercados de Manaus, De acordo com dados fornecidos pelo Procon-AM (Programa Estadual de Proteção e Ori­­entação ao Consumidor no Amazonas). Em alguns casos, o mesmo item pode custar R$ 11,46 num estabelecimento e R$ 61,75 em outro.

Disponível no site

Os dados estão na tabela de preços disponível no site da Sejus (Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos) –www.sejus.am.gov.br– e, se­­­gundo o diretor do Procon-AM, Guilherme Frederico Gomes, o trabalho é fruto de uma pesquisa elaborada pelo departamento de fiscalização do órgão e visa orientar o público no mês de dezembro.

Consumidores devem estar atentos para comparação

O diretor do orgão considera que a pesquisa é uma forma encontrada de“orientar os consumidores para que, des­­ta forma, eles estejam aten­­­tos para possíveis lesões quan­­to à prática abusiva de preço dos estabelecimentos”.

Entre os pesquisados aparecem os supermercados DB, Fujji, Carrefour, Super Modelo, Roma e Veneza. Ao todo, foram colocados na lista 30 itens de maior representati­vidade na cesta de Natal, co­­­mo ameixas, bacalhau, chester, nozes, pernil, peru, uva en­­­tre outros. Os preços que mais se destacam e distanciaram­ entre si ficaram com a noz sem casca, cujo quilo variou entre R$ 11,46, no supermercado DB e R$ 61,75, no Roma, o quilo a ameixa seca, por R$ 12,80 no Roma, e R$ 20,20, no Fujji, e o quilo do bacalhau do Porto, por 39,90 no DB e 60,98 no Carrefour. “A lista completa pode ser encontrada no site”, assegurou o Gomes.

Em sua avaliação pessoal, o diretor do Procon-AM ressalta que a diferença de preços praticados pelas redes de supermercados é algo normal e sadio para a boa prática comercial. “Sabemos que os empresários são livres para praticarem os preços que quiserem, porém, em função da livre concorrência, os valores se diversificam. Elaboramos a lista no intuito de favorecer o consumidor”, disse.

Gomes reforça o pedido de alerta para que os consumidores fiquem mais atentos. Entre as principais sugestões, Gomes sugere ao consumidor fazer, sempre que possível, visitas ao site da Sejus para se interar dos assuntos vigentes. O endereço eletrônico serve também para buscar informações acerca das empresas mais reclamadas, tabelas de preços, dicas de como se proteger e exercer os direitos do consumidor etc.

Para mais informações, o consumidor deve ligar pa­­­­ra (92) 3233-3292 / 633-8122, ou gratuitamente para 0800 921 512. Pela internet, pode acessar o site www.sejus.am.gov.br e conferir o que o site oferece. O Procon-AM funciona de 8h às 14h, de segunda a sexta, na rua Afonso Pena, nº 38, Praça 14 de Janeiro.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email