Preço do pescado deve aumentar na Semana Santa

Quem tem o hábito de evitar comer carne vermelha na Semana Santa, vai  pagar mais caro no valor do pescado. Segundo a Comissão Gestora da Feira Manaus Moderna e do Sindicato dos Feirantes de Manaus, o produto está 20% maior em relação ao ano passado.  A oscilação de preços neste período é motivada pelas perdas financeiras dos trabalhadores que atuam no setor causada pela pandemia e também em função do inverno amazônico que impacta as cheias no estado. 

“Os decretos suspenderam o transporte fluvial. E isso encarece o valor do produto porque passa muito tempo para chegar na capital, com isso o reflexo no aumento é inevitável. A cheia também contribui. Tem ainda a questão da entressafra que impacta na escassez do pescado”, afirma o presidente da Comissão Gestora da Feira Manaus Moderna e do Sindicato dos Feirantes de Manaus, Davi Lima.

Preço do pescado já está 20% maior em relação ao ano passado
Foto: Divulgação

A Semana Santa está próxima, a menos de sete dias, mas o movimento no mercado e feiras ainda é tímido. De acordo com os permissionários do local, o movimento deve ser maior a  partir de quarta-feira (31), e deve ficar mais intenso na quinta-feira (1º), véspera da Sexta-Feira da Paixão, quando a demanda é bem maior. Mas, conforme o representante,  o volume de vendas este ano deve ser menor. 

“Acreditamos que por causa da redução do horário de funcionamento das feiras e mercados, não teremos um volume de vendas muito acima, como nos anos anteriores, também por causa da crise financeira causada pelos decretos governamentais”.

Segundo Davi Lima, apesar do Estado ainda estar enfrentando a pandemia, o setor está  preparado para atender a população com segurança e seguindo os protocolos da saúde. 

De acordo com a categoria, no ano pré-pandemia, as pessoas procuravam o produto na semana que antecede a data, mas o comportamento do consumidor ano  passado foi bem diferente. O medo de contágio pelo novo coronavírus, limitou a circulação de pessoas nas feiras da capital, o fraco movimento representou  queda de  50% em relação a 2019.  

Em relação às espécies mais procuradas na Semana Santa e a média de valores estão o Pirarucu R$15 a R$ 20 o quilo, tambaqui entre R$ 30 a R$ 200 a unidade,  Jaraqui R$ 2 a R$ 4, a matrinxã R$ 20 a R$ 50 a unidade, a sardinha até R$ 2 reais, o pacú de R$ 2 a R$ 4 reais a unidade e o tucunaré entre R$10 a R$ 15 o quilo. 

Horários

Para atender os clientes, as feiras estão com horários diferenciados, as feiras livres de bairros e mercados estão funcionando durante a semana, de 7h às 17h, com exceção da Feira da Manaus Moderna e Feira da Banana, no centro da cidade, que passam a funcionar entre 4h e 15h.

Feirão

Semana passada, a ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável) do Governo do Amazonas, anunciou as tratativas para a realização do Feirão do Pescado, que vai oferecer peixes regionais de qualidade e com preço justo durante a Semana Santa. 

O Feirão deve ocorrer entre 30 de março e 2 de abril. O pescado é vendido em tendas em vários pontos da cidade a preços populares.

A estimativa é oferecer 100 toneladas de peixes de viveiros e áreas de manejo que incluem espécies como tambaqui, matrinxã e pirarucu.

No primeiro dia de Feirão os consumidores poderão fazer compras das 13h às 17h. A partir do segundo dia, o horário será das 7h às 17h. Haverá também venda no sistema delivery.

Serão 30 fornecedores de pescados e 15 produtores rurais. Os preços ainda serão definidos pela ADS. 

Novidade 

Neste ano, além dos participantes que disponibilizarão o pescado, a iniciativa do Governo do Estado contará também com a presença de produtores rurais, com a venda de hortifrutis durante o Feirão do Pescado. No total, serão 30 fornecedores de pescados e 15 produtores rurais.

“O pescado vem de áreas de manejo como Tefé, Fonte Boa, Alvarães e Coari.  Eles serão vendidos por indústrias e frigoríficos que possuem serviços em inspeção e autorização para venda do pescado legal”, informou o chefe de Departamento de Negócios Agropecuários e Pesqueiros da ADS, Edson Luniere.

Os fornecedores aptos e interessados em participar do feirão do Pescado, poderão agendar o horário de entrega dos documentos por meio do telefone: (92) 9 84151120. Só poderão participar da venda de hortifrutis os produtores rurais que já estão credenciados nas feiras regionais da ADS. Para a inscrição, os participantes pagaram uma taxa simbólica de R$ 15 por edição de feira.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email