Preço da gasolina volta a subir em Manaus

Como previsto pelo Jornal do Commercio na semana passada, a fase de “promoção” dos postos de gasolina está com as horas contadas. Após a temporada de boi, muitos motoristas foram pegos de surpresa na manhã de ontem ao se depararem com o reajuste no preço do combustível. Os sinais do aumento já podem ser vistos nas bombas de combustíveis do posto Atem, da Avenida Constantino Nery (zona Centro-Sul), nos postos da BR da Avenida dos Franceses (zona Centro-Oeste) e nos postos do Coroado (zona Leste).
O motivo é que o estoque de combustível comprado com juros mais baixos está se esgotando e, a partir desta semana, os postos começam a revender a gasolina adquirida já com acréscimo de encargos financeiros. A gasolina que está chegando a Manaus já vem com aumento.
As informações sobre a alta dos preços pipocam nos twitters enviados ao site Trânsito Manaus. A população está alerta, mas os revendedores não querem falar sobre o assunto.
O professor Amadeu Guedes mora na Cidade Nova e já constatou que pela zona Norte alguns postos já estão dando pistas do aumento. “Alguns postos já estão cobrando R$ 2,79. Ando de moto, mas meu gasto com gasolina é alto, chega a uns R$ 300”, disse. Amadeu diz acreditar que a fase de baixo preço vai acabar. “Com certeza. É a volta do cartel, mostrando a sua cara”, espetou.

Quem controla

O diretor de escola e funcionário público municipal Cleber Ferreira disse que também percebeu o aumento dos preços ontem. “Moro aqui na Constantino Nery, do lado de um posto de gasolina. O valor estava R$ 2,40, mas de uma hora para outra aumentou para R$ 2,79. Em média, gasto meio tanque, mas nesta semana estou tendo de colocar gasolina antes de uma semana”, contou.
O consultor de vendas de veículos Edílson Brasil também já teve de abastecer com aumento de preço na gasolina. “Não se sabe quem controla esses aumentos. A cada duas semanas, tem reajuste e é sempre uma surpresa. Estava pagando R$ 2,49 e hoje já aumentou para R$ 2,79. A gasolina aumentou no posto do Vieiralves e São Geraldo. Não faço a conta de quanto gasto em combustível por mês, mas gasto muito. E com esse aumento, vai ficar mais dispendioso”, lamentou.

Entidade diz que não discute preços

Procurado pelo Jornal do Commercio, o presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Amazonas, Luiz Felipe Moura, voltou a afirmar que o sindicato “não discute preço e que o mercado é livre”. “Os donos de postos podem fazer promoções e depois voltam ao preço normal. Quem é responsável em verificar se está tendo cartel é o Procon, a Polícia Federal. Nós não falamos sobre isso para não caracterizar, justamente, combinação de preço”, justificou.
No site da ANP (Agência Nacional de Petróleo), na semana correspondente a 19 a 25 de junho, o preço da gasolina variava entre R$ 2,40 a R$ 2,48. Nos dois postos do Coroado, um localizado na Avenida Autaz Mirim, e o outro, na Avenida Avenida Cosme Ferreira, os preços eram, respectivamente, de R$2,46 e R$2,49. O preço de compra foi R$ 2,20, o litro.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email