Preço da cesta básica cai 14,33% e chega a R$ 155,99 segundo Semaga

O valor da cesta básica na terceira semana de agosto teve recuo de até 14,33% em Manaus, fechando com preço médio de até R$ 155,99 frente aos R$ 182,08 nos nove primeiros dias deste mês. A queda foi revelada no levantamento semanal do Departamento de Pesquisa e Estatística da Semaga (Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento).
Dos 62 produtos estudados, 12 apresentaram alta, 36 diminuíram de preço e 14 permaneceram estáveis. Em relação às duas últimas pesquisas, o período observado pela Semaga mostrou que as frutas registraram variação negativa de 2,69%, a maior dentre os seis grupos que compõem a cesta básica manauense.
O subsecretário da Semaga, Raimundo Nonato Souto, salientou que as oscilações nos preços dos produtos em uma região tipicamente consumidora como Manaus nem sempre estão atreladas a desequilíbrio entre oferta e demanda, mas motivados por razões internas, como as quebras de safra, política de preços mínimos aos produtores ou conjuntura econômica do país, ou ainda por razões externas (mudanças no cenário internacional, restrições políticas ou sanitárias às importações brasileiras).
“Na capital, as alterações de preços, especialmente as de pequena magnitude, podem refletir tão somente procedimentos adotados por determinados supermercados ou feira da amostra, seja para estimular a concorrência, para se destacar em algum segmento ou simplesmente estoques através do rebaixamento temporário dos preços”, informou.

Taxa de juros

No entendimento do analista econômico e professor da Faculdade Módulo, Cláudio Carvajal, as altas na taxa de juros começaram a fazer efeito em Manaus, acompanhando a tendência observada em outras doze capitais. Segundo o especialista, o IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal), divulgado no início da semana, revelou uma variação negativa no valor dos alimentos, o que ajudou na desaceleração da inflação ao longo do mês, já que no varejo, as principais diminuições foram identificadas no tomate (-12,84%), batata-inglesa (-7,56%) e abacaxi (-31,63%). “O levantamento local bate com a queda média generalizada nas outras doze capitais, que alcançou 0,06% contra a alta de 0,40% no relatório anterior, registrando a quinta desaceleração seguida. Mas no caso de Manaus, as hortaliças, legumes, pescado, arroz e feijão foram os principais itens que motivaram a diminuição dos preços”, apontou.
Entretanto, na análise de Carvajal, o controle da política monetária deve permanecer conservador nos próximos meses, sendo pouco provável recuo na taxa de juros.
“A estratégia de aumentar os juros está dando certo. A tendência é que o preço dos alimentos continue caindo, beneficiando o consumidor final, mas dificilmente haverá mudanças na Selic”, finalizou.
No levantamento realizado pela Semaga, as feiras da Manaus Moderna, Panair e da Betânia praticaram os menores preços de alimentos, enquanto a disputa pelo consumidor na zona norte, onde se praticou a queda mais acentuada no preço (14,84%), levou a um empate técnico entre as redes Carrefour e de supermercados DB.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email