Pesquisar
Close this search box.

Pré-candidato do PCdoB foi entrevistado no podcast da Fecomercio-AM para falar de suas propostas para Manaus

A Fecomercio-AM (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas) deu prosseguimento, na terça-feira, dia 2, às sabatinas com os pré-candidatos à Prefeitura de Manaus. Intitulada “Manaus em Foco”, e veiculada pelo podcast “Caminhos do Comércio”, a série teve sua quarta edição focada no engenheiro agrônomo e ex-deputado estadual e federal, Eron Bezerra (PCdoB). Na conversa com os empresários ele estabelece que seu lema e “a vida em primeiro lugar” e anuncia prioridades no transporte, saúde básica e segurança, entre outras frentes. 

Nascido em Boca do Acre (AM), o entrevistado é um veterano da política amazonense, embora tenha ficado afastado dela desde 2016. Foi eleito e reeleito para a Aleam (Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas), em cinco mandatos consecutivos, entre 1991 e 2010. Foi titular da Sepror (Secretaria de Estado de Produção Rural) por dois períodos (2007-2010 e 2011-2014). Também foi eleito para deputado federal em 2013, mas ficou apenas um ano em Brasília. Doutor em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia, e professor de Climatologia da Ufam, Eron Bezerra disputa a Prefeitura de Manaus pela terceira vez.

Ele está no páreo com pelo outros nove pré-candidatos. A lista incluiu o atual prefeito, David Almeida (Avante); o presidente da Aleam, Roberto Cidade (União Brasil); o deputado federal Capitão Alberto Neto (PL); o também deputado federal Amom Mandel (Cidadania); a empresária Maria do Carmo Seffair (Novo); e o professor Gilberto Vasconcelos (PSTU). Estão na disputa também o ex-deputado federal Marcelo Ramos (PT); o deputado estadual, Wilker Barreto (Mobiliza); e a advogada e ativista Natália Demes (PSOL). que já foram entrevistados. As edições especiais do podcast estão disponíveis nas redes sociais da Fecomercio-AM.

“Estamos aqui para conversar com o pré-candidato e ouvir seus projetos, ideias e soluções. Ele, assim como todos os que aqui se fizerem presentes, receberão ponderações, sugestões e perguntas dos empresários de nosso segmento. Mas, por outro lado, estamos linkados com as redes sociais, e muitas pessoas da sociedade encaminharão perguntas. Seja muito bem-vindo, sua presença é mais um elo de nossa jornada”, anunciou o presidente em exercício da Fecomercio-AM, Aderson Frota.

Metrô e isolamento

Eron Bezerra abriu sua apresentação elogiando a iniciativa da Fecomercio-AM de possibilitar o diálogo entre os pré-candidatos e os eleitores de Manaus. “Não vamos escolher, no dia 7 de outubro, um amigo ou uma amiga. Vamos escolher alguém para administrar a sétima maior cidade do país, o quarto PIB per capta do Brasil, com R$ 9 bilhões no orçamento. E com problemas graves e primários, como ruas sem placas indicando seus nomes, desbarrancamentos tradicionais, e caos no transporte”, listou. 

O ex-deputado diz que um dos principais problemas atuais de Manaus está na mobilidade urbana. “Nenhuma cidade com mais de 1 milhão de habitantes conseguiu resolver problemas de transporte e trânsito, sem metrô. A solução não é barata. A Prefeitura tem até caixa para fazer isso, mas vou abrir uma concorrência pública para uma parceria público privada internacional”, frisou, esclarecendo que sua proposta é de um metrô de superfície, e não excluiu a possibilidade de auxilio por ônibus elétricos e também transporte aquaviário.

A falar de transporte, o pré-candidato também disse que a prefeitura não pode ficar de fora da luta para “interligar Manaus” ao restante do país, diante dos problemas crescentes no clima e perspectivas de novas crises hídricas. “Temos de resolver esse isolamento. Primeiro, temos de fazer hidrovias, com as devidas sinalizações e dragagens. Segundo, temos de enfrentar de novo a escolha de fazer uma ferrovia lingando a cidade a Porto Velho ou Belém, ou recuperando a BR-319. Precisamos enfrentar esse problema, mas não é xingando a ministra, que ficou oito anos afastada e ninguém fez nada. Há uma crise ambiental mundial e uma pressão global contra a Amazônia, e nós temos que saber como administrar isso, garantindo sustentabilidade”, enfatizou.

Saúde, segurança e ambiente

O engenheiro agrônomo assinala que o lema de sua campanha é “a vida em primeiro lugar”. “Não interessa a ninguém ter emprego, boa casa, estando morto. O gestor tem que cuidar para evitar que as pessoas morram. Primeiro, garantindo comida. Vamos criar uma política ‘periurbana’ de produção de alimentos, ensinando as pessoas a produzirem comida no quintal, ou na varanda do apartamento. Isso é possível tecnicamente. Fizemos esse tipo de política quando eu estava na Sepror”, asseverou, acrescentando que a expansão da atenção básica da saúde também faz parte desse esforço. 

Eron Bezerra diz que a segurança é outro gargalo da capital, e promete colocar um “segurança” em cada coletivo que circula em Manaus. “O comércio emprega 70% da mão de obra da cidade com carteira assinada. A maioria dessas pessoas é assaltada praticamente todos os dias. Não posso aceitar que as pessoas saiam com dois celulares: um melhorzinho, escondido; e outro vagabundo, para entregar ao ladrão. Vai sair caro, mas vou garantir milhares de postos de trabalho e a vida das pessoas. Na rua, vamos colocar guardas de quarteirão, circulando 24 horas”, anunciou.  

Sobre meio ambiente, o ex-parlamentar assinala que também tem “políticas agressivas” para limpar os igarapés de Manaus. Ele diz que pretende envolver a sociedade a não poluir, comprando resíduos sólidos para fins de uma “reciclagem intensa”, utilizando para isso também a concessão de descontos de IPTU.  

Cultura, revitalização e ideias

O pré-candidato promete também colocar um centro cultural em cada bairro de Manaus, “gerando gerar postos de trabalho, renda e movimento no comércio”. Indagado sobre suas propostas para o Centro, o político disse, que além das ações de policiamento anteriormente citadas, é necessário acolher as populações de rua com atendimento médico e psicológico em locais especializados. Em paralelo, lembra que a área pode ser revitalizada, exercendo seu potencial histórico e cultural. 

“Dou o exemplo de Belém, que fez um belíssimo trabalho nas suas Docas, que viraram um centro comercial de lazer, cultura e negócios para aquela cidade. Podemos fazer isso, agregando segurança, limpeza e estrutura. E colocar a cidade de frente para o rio Negro”, propôs, lembrando que o governo federal já tem verbas destinadas a políticas do gênero. 

Eron Bezerra lembrou ainda que seu partido faz parte de uma federação, que inclui também o PT (que já tem seu pré-candidatura no ex-deputado Marcelo Ramos) e o PV, acrescentando que ainda não foi possível chegar a um acordo. “A federação nacional vai ter de arbitrar. Não retirei meu nome porque, olho para um lado e para outro, e só vejo ideias pouco palpáveis. Quero debater problemas estruturantes e ideias sólidas”, apontou. “Não quero perder tempo discutindo se você é de direita, esquerda ou centro. Ninguém vive sem sonhos, e o meu é uma Manaus de irmãos, não de inimigos”, arrematou.

Marco Dassori

É repórter do Jornal do Commercio
Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

Pesquisar