Prazo para alternativos adotarem ‘Passa Fácil’ deve ser prorrogado por sessenta dias

A Comissão Permanente de Transportes da Câmara Municipal de Manaus vai pedir a prorrogação, por mais 60 dias, do prazo de 120 dias estabelecido para que as cooperativas operadoras do sistema de transportes alternativos implantem também o sistema de bilhetagem eletrônica, o chamado “Passa-fácil”. A decisão foi tomada em reunião extraordinária realizada no final da tarde de segunda-feira, 10, com os representantes das cooperativas, do IMTU (Instituto Municipal de Transportes Urbanos) e do Sinetram (Sindicato das Empresas de Transportes do Amazonas).
Os representantes das cooperativas, que movimentam uma frota de 200 microônibus em toda a cidade, reclamaram da burocracia do Banco do Brasil, que ao longo de seis meses não liberou financiamentos para aquisição dos equipamentos eletrônicos.
Os cooperados se queixaram também do atendimento do Sinetram e do monopólio da operadora TIM, que vende os chips. Mesmo assim, 60 microônibus já estão integrados ao sistema de bilhetagem eletrônica, informaram eles.
Os representantes das cooperativas aproveitaram a reunião para cobrar do presidente da comissão, vereador Jorge Maia (sem partido); do autor do requerimento que deu origem à extraordinária, vereador Marco Antônio Chico Preto (PMDB), e do representante do Sinetram, Carlos Zanetti, explicações sobre quando vão receber os valores referentes às passagens do sistema de integração temporal. O que acontece é que as passagens do sistema temporal são gratuitas para o usuário que pega dois ônibus dentro de duas horas, mas são pagas às empresas, por um sistema chamado Câmara de Compensação. Quando as empresas são grandes, como as de transporte coletivo, podem esperar muitos meses pelo pagamento, mas as pequenas cooperativas não conseguirão sobreviver muito tempo, caso não recebam de forma mais rápida os valores referentes às passagens que não são cobradas dos usuários.
O questionamento gerou um impasse porque Zanetti informou que a câmara de compensação só vai fazer esse tipo pagamento, quando aproximadamente 100% dos usuários do sistema possuírem o “Passa-fácil”, quando os terminais serão desativados.
Chico Preto e Jorge Maia informaram o contrário do Sinetram, chegando a dizer que, se houver demora no repasse do dinheiro, que as cooperativas devem ingressar na Justiça contra o Sinetram.
Outra questão polêmica levantada pelos representantes das cooperativas diz respeito às liminares concedidas pela Justiça permitindo que cem microônibus excedentes do sistema eliminados pela prefeitura, continuem atuando.
Ao anunciar que a comissão vai pedir a prorrogação por mais 60 dias em caráter improrrogável, Jorge Maia anunciou que vai realizar uma reunião e convidar o presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas Hosannah Florêncio para tratar do assunto.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email