Potencialidades do Amazonas são atrativos da Feira das Américas

O Amazonas é o centro das atenções de profissionais de turismo de mais de 50 países que visitam até o próximo sábado, 27, no Rio de Janeiro (RJ), a 35ª Feira das Américas, evento promovido pela Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagens) em parceria com a Amazonastur (Empresa Amazonenses de Turismo).

A solenidade de abertura, ocorrida no auditório do Riocentro, contou com a presença da ministra do Turismo, Marta Suplicy, e os governadores dos Estados do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral; do Piauí, Wellington Dias; do Maranhão, Jackson Lago, e de Alagoas, Teotônio Vilela, que assistiram à apresentação dos bumbás de Parintins, Garantido e Caprichoso.

Preocupação com o meio ambiente

A comitiva também visitou o estande com a réplica do Teatro Amazonas, construída em uma área de mais de 150 metros quadrados.

Pela primeira vez, a Abav homenageia um Estado, e o Amazonas, considerado bem-sucedido na implantação de políticas de desenvolvimento socioeconômico, aliado à sustentabilidade, foi a federação escolhida para expressar a preocupação dos organizadores do evento com a questão ambiental.

Secretários de Turismo participam

A presidente da Amazonastur, Oreni Braga, que representou o governador Eduardo Braga na solenidade, afirmou que as ações desenvolvidas pelo governo reforçam o ideal de um novo modelo voltado à geração de emprego e renda para a população. “O Amazonas vem diversificando a cada ano, as opções de viagem dentro de seu território. Hoje, quem nos escolhe acredita que vale a pena estender o período de estada e também o número de cidades a serem visitadas. Trouxemos secretários de Turismo dos municípios Tefé, Presidente Figueiredo e Barcelos com o objetivo de incentivar novos pólos”, afirmou Oreni.

Ela explicou, ainda, que três modalidades turísticas vêm se sobressaindo: a pesca esportiva, o rivertour e a hotelaria de selva. Somente em 2006, 377 mil turistas desembarcaram no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. Este ano, o aumento deve ser em média, 12% maior do que no ano anterior. Os dados foram coletados pela própria Amazonastur junto às empresas do setor, através da FNRH (Ficha Nacional de Registro Hoteleiro).

Cinco sentidos da Amazônia

O empresário Mark Aitchison, proprietário da agência de viagens Swallows, concordou.

“Eventos como estes servem para levar a nossa marca para outros Estados e continentes. A Ásia, por exemplo, tem um público potencialmente atrativo para nós”, destacou.
Até este sábado, 27, a estimativa é que pelo menos 100 mil pessoas passem pelos dois pavilhões montados no Riocentro.

Uma das maneiras encontradas pela Amazonastur para promover o Estado entre operadores de viagens nacionais e internacionais se deu por meio de kits, compostos por cinco produtos que definiriam o que é o Amazonas. Seja com um sabonete fabricado artesanalmente com seiva de folhas, ou uma bala de cupuaçu ou mesmo com um mini CD, onde estão gravadas imagens da floresta amazônica, cheia de encantos e diversidades.

As embalagens, claro, também são produtos do compromisso com o meio ambiente, fabricado com material biodegradável e que ainda gera renda aos produtores rurais do Amazonas: o saco de juta.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email