Por inovação, Tesla e Apple se equivalem

Alguém, já notou a semelhança entre Apple e Tesla? Muitos se referem ao fabricante de automóveis de Fremont como a gigante de tecnologia, mas com quatro rodas.

De fato, a comparação não vem apenas de consumidores, mas também de analistas de mercado. Por conta da inovação, a Tesla está sendo comparada com a Apple, mas não a atual, com seu iPhone 11.

Há 20 anos, a empresa da maçã estava atraindo a atenção do mercado com inovações lideradas por Steve Jobs, que levaram ao icônico iPhone alguns anos depois.

Todos os olhos (especialmente do mercado financeiro) iam para a empresa fundada por Jobs, que de computadores pessoais bem simpáticos, avançou para o mercado de telefonia celular com um aparelho revolucionário.

Agora, essa atenção toda está em Elon Musk, que não atrai investidores apenas com a Tesla, ele também atua da mesma forma na SpaceX e tem projetos como Boring e Hyperloop, que também estão se materializando.

Polêmico, Musk é a força criativa por trás da Tesla, assim como Jobs com a Apple. Contudo, a marca de carros tem um problema, na visão do mercado, sendo este operaciona. Musk não consegue lidar com isso ao mesmo tempo em que desenvolve novas tecnologias para a Tesla. Segundo se fala, ele não é bom nisso. Para crescer, na visão de investidores, seria preciso alguém que dominasse essa parte. Tim Cook, que hoje lidera a Apple, seria essa pessoa.

Uma fusão Apple-Tesla já foi vislumbrada até por entusiastas das duas marcas, porém, a gigante do iPhone é muito maior que a fabricante de carros elétricos.

Na Apple, contudo, as coisas não vão bem. Sem inovação como há 20 anos, a marca da maçã perdeu sua força criativa com a morte de Jobs e o mercado, apesar de seu um trilhão de dólares em valor, não vê isso com bons olhos.

A Tesla já vale mais que GM e Ford, chegando mesmo a superar a Toyota em valor de mercado, mas esta recuperou seu posto recentemente.

Lançamentos virtuais de motocicletas reais

Tá quase. Mais um pouco de paciência e logo, logo voltamos ao normal. Ou algo parecido com o normal com o que estávamos acostumados, já que eu acho – e muitos pensam como eu –, que o mundo entrará em uma nova fase. Muita coisa deverá mudar, como, por exemplo, o mercado imobiliário. As empresas estão descobrindo que é possível ter bons colaboradores trabalhando remotamente, o que deverá alterar a procura de imóveis comerciais, em especial aqueles grandes prédios de escritórios.

Com as nossas motocicletas, no entanto, o final deverá ser feliz. Depois de uma pausa na comercialização de motos, a indústria já retomou a produção e em breve teremos novos lançamentos rodando por aí. É que ninguém segura (por muito tempo) a vontade de um motociclista de acelerar.

Poderemos, sim, ter uma reformulação na sistemática de apresentações de novos modelos, já que, por enquanto, o agrupamento de jornalistas especializados em um evento ainda não está acontecendo. Mas as apresentações ao vivo pela Internet, as chamadas “lives”, estão à toda e funcionam muito bem.

O segmento especializado em automóveis já há algum tempo está lançando novíssimos modelos por meio de lives, afinal, novos carros estão chegando e o público precisa conhecê-los. Dessa forma, agora começam também os lançamentos de motocicletas via web, como ocorreu nesta semana, com um evento ao vivo da Kawasaki e outro da Honda. E em breve as motocicletas já serão entregues aos jornalistas.

Novo Land Rover Defender chega ao Brasil com preço de SUV

Revelado no fim de 2019, o novo Land Rover Defender passa a ser oferecido agora em pré-venda no mercado brasileiro. O modelo, que abandonou a pegada “4×4 raiz” e passou a ser um SUV com carroceria monobloco, chega em um lote inicial de 150 carros, importado da Eslováquia e com preços que partem de R$ 400.750.

Diferente de outros mercados, onde também existem variações de duas portas e com motores a diesel, no Brasil o novo Land Rover Defender será vendido inicialmente apenas na variante mais longa (110), equipada com o motor P300 (2.0 turbo a gasolina de 300 cv) e um câmbio automático de oito marchas. Portanto, nada de versão movida a diesel , pelo menos por enquanto, o que não deverá agradar os puristas.

Mas de acordo com a Land Rover, apesar do espírito menos purista que o do antecessor, o novo Defender é capaz de enfrentar caminhos extremos. A plataforma de alumínio é dez vezes mais rígida e o SUV é capaz de cruzar trechos alagados de até 900 mm, de acordo com a fabricante.

São três níveis de acabamento disponíveis para o novo SUV . O “S” é a opção de entrada, seguida pelas versões SE (R$ 426.750) e HSE (R$ 461.150).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email