27 de maio de 2022

População da Cidade Nova se encontra no Centro de Convivência da Família Padre Pedro Vignola

Do alto da rotatória do Núcleo 8, na Cidade Nova, está o Centro de Convivência da Família Padre Pedro Vignola, o homenageado foi um religioso que colaborou para o nascimento do bairro no começo dos anos 80. Nascido na Itália, veio para o Amazonas em 1956, atuando em Parintins, sendo que em 1988, já atuando em Manaus, inaugurou a Igreja São Bento, primeira da Cidade Nova, onde exerceu extensa representatividade dentro da comunidade. 

Falecido em 18 de julho de 2006, em Lecco, na Itália, Padre Vignola ganhou homenagem póstuma com seu nome batizando o Centro de Convivência da Família no ano de 2007. 

A unidade é um espaço que recebe diversas ações de cunho social, cultural e de saúde durante todo o ano. Um exemplo é que o local tem sido utilizado para aplicação da vacina contra a Covid-19 na zona Norte, que inclusive já se prepara para a terceira dose. 

Com a liberação de algumas atividades por parte do Governo do Estado do Amazonas, algumas ações já voltaram a ser realizadas, como afirma William Fernandes, diretor da unidade, “Nós estamos com o projeto respirar para os usuários do centro de convivência, atendemos o psicossocial com o Cetam, que possuem psicólogas e assistentes sociais que atendem as pessoas que precisam. Após uma pandemia, idosos que estão tendo alguma dificuldade familiar, nos procuram para ter este atendimento”, conta. 

William Fernandes diretor do Centro de Convivência da Família Pedro Padre Vignola – Foto: Divulgação

Quadras de esporte, piscinas, pista de caminhada, salão de dança, fisioterapia, aulas de balé para crianças e adolescentes fazem parte das ações e estruturas oferecidas para os comunitários.

Joseline, 54 anos, moradora do núcleo 23, frequenta o Centro desde a inauguração. “A minha neta faz balé clássico, eu faço dança de salão e ainda fazia atividade física na musculação”. Joseline ainda ressalta a importância da unidade para a comunidade, “É uma socialização entre as famílias, muitos estão ociosos em casa e a volta, a retomada do atendimento no Centro de Convivência da Família é muito importante”. 

Após a aplicação das duas doses da vacina contra a Covid-19, o Centro de Convivência da Família Pedro Padre Vignola já está quase voltando a sua normalidade, “Nós já estamos conseguindo destinar os frequentadores para atividades específicas, como hidroginástica, fisioterapia, funcional, que são acompanhados por um profissional”, afirma William Fernandes, enfatizando que o centro é aberto para a população em geral,  “Todas as pessoas que precisam de atendimento estamos aqui para ampará-los”. 

Uma outra característica do Centro de Convivência é ceder espaço para empreendedores da área de artesanato comercializarem seus produtos. “Essas pessoas hoje procuram uma renda diferente, então nós cedemos o espaço para quem tem algum projeto pessoal para mostrar, a exemplo dos artesãos”. Nada é cobrado para que os artesãos tenham suas “banquinhas” no centro, além do mais, por receber diariamente um grande público devido a aplicação da vacina, os comerciantes tem tido retorno na venda de seus produtos. 

O Centro de Convivência da Família Pedro Padre Vignola, funciona das 8h às 17h, de segunda à sexta-feira com as atividades, contudo, para caminhada a unidade abre das 5h da manhã até às 21h. 

Praça Iluminada Irmã Helena

Praça Irmã Helena na Colônia Terra Nova – Foto: Divulgação

Local de encontro dos moradores da Colônia Terra Nova na zona Norte, a Praça Irmã Helena recebeu recentemente iluminação de led por parte da Prefeitura de Manaus e da UGPM energia. Os comunitários deixavam de frequentar o espaço por conta da falta de segurança, e a nova iluminação traz a sensação de um lugar mais seguro. No local, existem lanches, brinquedos para as crianças e a zumba, atividade que os comunitários praticam orientados por um educador físico do bairro.

Musa

MUSA – Torre de observação – Foto: Valter Calheiros
  • O desafio de manter o ecossistema urbano preservado.

Localizado dentro da reserva Adolpho Ducke, no bairro Cidade de Deus, o Musa (Museu da Amazônia), abriga espécies da fauna e flora Amazônica, que podem ser visitadas por turistas e moradores. São cobras, borboletas, pacas e diversos tipos de plantas e árvores centenárias em plena área urbana de Manaus. Além de uma torre de observação, onde é possível admirar toda a floresta.

Durante o mês de outubro o espaço fez uma programação especial para as crianças, com atividades educativas sobre a vida e o ecossistema Amazônia, além de oficinas direcionadas para temática ambiental.

No entanto, o espaço é alvo de preocupação por parte de ambientalistas, tendo em vista as constantes invasões no seu entorno. “A falta de política de educação ambiental no município, não orienta, não educa as pessoas para elas compreenderem as infrações que elas cometem. Então muitas vezes não podemos culpar essas pessoas, muitas vezes desconhecem que estão cometendo um crime, uma prática cultural aqui é de atear fogo nos resíduos florestais, então as pessoas não sabem disso, infelizmente”, lembra o engenheiro florestal Jorge Palmeira. 

Foto/Destaque: Divulgação
Reportagem de Sandro Abecassis

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email