Há pleonasmos tão notórios e evidentes que não conseguem passar despercebidos. É o caso de “subir para cima”; “entrar para dentro”; “adiar para depois”;  “surpresa inesperada”; “repetir de novo”…e tantos outros, que saltam aos nossos olhos e avivam nossos ouvidos a ponto de detectá-los quase que imediatamente. Hoje, no entanto, optei por trazer alguns casos que parecem pleonasmos, mas não o são.

MULTIDÃO DE PESSOAS

Há cinco entradas no Dicionário Aurélio Eletrônico para a palavra “multidão”, porém nos interessa realmente a que segue: “1. Grande quantidade ou ajuntamento de pessoas ou de coisas” (grifo meu). Logo, não é pleonasmo dizer “multidão de pessoas”, já que o vocábulo “multidão” inclui, também, coisas.

FACÃO GRANDE

Facão é um tipo de faca de lâmina pesada. Há, inclusive, diversos tipos de facão, uns menores, outros maiores, e com finalidades diversas. O terçado é, por exemplo, um tipo de facão. Veja bem, que há terçados menores e maiores. Assim sendo, se há facões menores e maiores, “facão grande” não configura um pleonasmo.

CONCERTO DE PIANO

Primeiramente, vamos aos significados do vocábulo “concerto”. Notem que também há a palavra “conserto”, com “s”, mas essa é uma outra história.  “Concerto. s. m. 01. Ato ou efeito de concertar. 02. Comparação, cotejo, confronto. 03. Combinação. 04. Harmonia, acordo. 05. Consonância de instrumentos, ou de vozes no canto; harmonia. 06. Mús. Composição musical extensa para um instrumento solista, com acompanhamento de orquestra. 07. Espetáculo em que se executam obras musicais.” Dentre os significados acima, para nós interessa os três últimos e, pelo contexto, vê-se a inexistência de qualquer pleonasmo em “concerto de piano”. Fica a dica.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email