Plano Diretor de Manaus é “capenga”

Dando continuidade aos trabalhos e discussão e elaboração do novo Plano Diretor da cidade de Manaus, a Câmara Municipal realizou, na manhã dess a segunda-feira (14), uma Tribuna Popular com a participação do presidente do CAU/AM (Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Amazonas, Jaime Kuck.
Segundo o arquiteto convidado, o não cumprimento, por parte da Prefeitura, de nove Planos Setoriais –que tratam de temas específicos como resíduos, zoneamento ambiental, drenagem, recapeamento, moradias, transporte público, entre outros– incluídos pela CMM há dez anos durante a elaboração do atual Plano Diretor, acabou deixando-o “capenga”.
Ele cobrou do Executivo Municipal um maior esforço para não excluir, novamente, essas diretrizes no plano que está sendo elaborado: “São esses Planos Setoriais que darão viabilidade técnica para que esse Plano Diretor seja, de fato, aplicado. Em 2002, a Câmara deu à Prefeitura um prazo de dois anos para que esses planos fossem construídos e aprovados e nenhum deles o foi. Então agora, em 2012, é necessário que a gente tenha muito cuidado para que esses planos setoriais não fiquem novamente apenas no papel”, avaliou.
Além disso, Jaime Kuck garantiu que os membros do CAU/AM estarão à disposição da Câmara Municipal para prestar qualquer assessoria com relação à discussão desses planos.
O presidente da CMM e solicitante da Tribuna Popular, vereador Isaac Tayah (PSD), afirma que, além dos técnicos do Conselho, está convidando a população a contribuir com a elaboração do novo Plano: “Vamos visitar, vamos panfletar o Plano Diretor àquelas pessoas que não sabem do que se trata. Nós vamos informar para a sociedade, que ela também é responsável pelo futuro da nossa cidade”, explicou o parlamentar. E para agilizar a discussão, Isaac Tayah entregou ao presidente do CAU/AM uma cópia do anteprojeto elaborado pela prefeitura.
Após a realização da Tribuna Popular, Isaac Tayah dirigiu-se ao Ministério Público do Estado, onde solicitou os itens que ainda estão faltando no anteprojeto.

CPI da Água

Também na manhã de ontem os técnicos contratados pela CMM para acompanhar os trabalhos da CPI da Água ministraram, em uma reunião a portas fechadas, uma espécie de “aula de saneamento” aos vereadores membros da Comissão. A explanação foi baseada nos relatórios entregues pela concessionária Águas do Amazonas, pela Arsam, pela prefeitura e também pelas visitas técnicas realizadas na sede da empresa na última semana.
Somente após essas explicações técnicas a Comissão vai poder elaborar os questionamentos e votar os requerimentos de convocações que incluem os nomes de Amazonino Mendes (PDT), Eduardo Braga (PMDB), Alfredo Nascimento (PR) e Serafim Corrêa (PSB) –todos ligados, de alguma forma, os membros da CPI.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email