10 de abril de 2021

Planalto fixa diárias para uso de cartões corporativos dos ministros

O cartão de crédito corporativo continua a ser utilizado pelo governo, mas não pelos integrantes do primeiro escalão nem para gastos relativos a viagens e o usuário deve prestar constas dos gastos feitos pelos devidos cartões.

O governo federal deve estabelecer uma diária de R$ 350 a R$ 400 para o uso dos ministros em viagens nacionais A medida será uma resposta à crise provocada pela revelação de gastos com cartões de crédito corporativo.
A proposta será submetida ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta segunda-feira, quando o presidente retornar do descanso no Guarujá. O valor, que deve pagar hospedagem, alimentação e extras, foi definido após levantamento em diferentes repartições da União. Os ministros devem prestar contas das despesas.
O cartão de crédito corporativo continua a ser utilizado no governo, mas não pelos integrantes do primeiro escalão nem para gastos relativos a viagens.
Na sexta-feira, o ministro Paulo Bernardo (Pla­ne­jamento) disse que os ministros de Estado não serão obrigados a devolver os cartões corporativos, como chegou a ser sugerido pela ministra Dilma Roussef (Casa Civil).
Apesar de negar a devolução dos cartões, Bernardo recomendou aos ministros que não utilizem esse mecanismo de gastos do governo.
O secretário-executivo do Ministério do Planejamento, João Bernardo de Azevedo Bringel, enviou ainda na sexta-feira um ofício-circular no qual recomenda todos os ministérios a não utilização dos cartões diante da “inconveniência do uso do cartão pela própria autoridade para efetuar o pagamento de despesas de serviço geradas por eles”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email