PIB do Amazonas cresce 0,5% em 2020, aponta Sedecti

No ano de 2020, o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado do Amazonas teve crescimento nominal de 0,55% e em valores reais houve queda de -3,79%, em uma comparação ao ano de 2019. Em todo o ano passado, período sob os impactos da pandemia causada pelo novo coronavírus, o PIB do Amazonas alcançou cifras de R$105 bilhões. Os dados são da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), que é responsável pelos estudos dos PIBs estadual e municipais, entre outros.

O PIB do quarto trimestre de 2020 registrou R$28.457 milhões no comparativo com o quarto trimestre de 2019, o que representa um crescimento nominal de 4,19%. Os destaques foram para o segmento de Serviço, que obteve crescimento de 4,16%, e para a Indústria, que registrou alta de 3,72% no período (4º trimestre 2019/2020).

Em comparação ao terceiro trimestre de 2020, o quarto trimestre registrou crescimento nominal de 5,91% e taxa de crescimento real de 2,69%, ao se descontar a inflação pelo Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA). Na comparação com o quarto trimestre de 2019, o PIB apresentou crescimento de 4,19% (Nominal) e queda de -0,32% (Real).

Esse desempenho se deve à recuperação da atividade econômica que contribuiu para um melhor desempenho com valores de R$ 26.870 milhões no terceiro trimestre, e de R$ 28.457 milhões no quarto trimestre, compensando as perdas do segundo trimestre (-7,33% comparativo entre o 1º trimestre e o 2º trimestre de 2020).

Na avaliação do titular da Sedecti, Jório Veiga, o resultado do PIB para 2020 foi além das expectativas, já que foi um ano marcado pela pandemia causada pela Covid-19, o que impactou negativamente a economia global.

“A expectativa para os números chegou a ser de 9% negativo, já que tivemos uma crise sanitária desestabilizando a nossa economia. Porém, o que tivemos foi um crescimento nominal se comparado ao ano anterior, quando não houve a pandemia e isso é muito bom, porque mostra que o Amazonas resistiu positivamente, até mesmo se compararmos com os dados totais do PIB nacional”, destaca o secretário.

O PIB do Brasil em 2020 foi de R$7,4 trilhões. No último trimestre divulgado (4º trimestre de 2020), o valor foi de R$2.003,5 bilhões, registrando uma queda de -4,1%.

Medidas de recuperação 

As medidas de estímulo econômico aplicadas pelo Governo do Estado do Amazonas, em decorrência da pandemia da Covid-19, também contribuíram para a recuperação da economia.

Dentre essas estão a concessão de benefícios emergenciais tais como: postergação do pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e/ou de contribuição ao Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social do Estado do Amazonas (FMPES), Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas (FTI), Fundo de Promoção Social (FPS) e Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Além da disponibilização de crédito emergencial por parte da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) e renegociação emergencial de dívidas, bem como, a agilização da emissão de Laudos Técnicos de Inspeção (LTI), por parte da Sedecti, para a concessão de incentivos fiscais às indústrias.

Todas essas ações tiveram impactos positivos e auxiliaram no desempenho do comércio e na manutenção dos níveis de consumo em uma situação de restrição de funcionamento das atividades no Estado.

Desempenho dos Setores 

Elaborado no âmbito da Secretaria Executiva de Planejamento (Seplan), por meio do Departamento de Estudos, Pesquisas e Informações (Depi), o estudo do PIB do Amazonas identificou que em 2020, dos quatro setores, apenas a Agropecuária apresentou queda no comparativo 2019/2020 com -2,38%, principalmente, na atividade de pecuária com decrescimento de -2,95%. A Indústria cresceu 0,11%, sendo influenciada, principalmente, pela indústria extrativa, com incremento de 7,12% e de 2,57% na indústria de transformação. A Construção Civil foi o setor mais impactado pela pandemia do novo coronavírus e registrou queda de -21,16% no comparativo 2019/2020.

O setor da Indústria, em 2020, alcançou R$29,6 bilhões. Só no quarto trimestre de 2020 o valor foi de R$7,9 bilhões, com crescimento de 3,72%, no comparativo com o quarto trimestre de 2019. Entre as atividades econômicas destacadas neste setor, aparecem a Indústria de Transformação e a Indústria Extrativa que cresceram, respectivamente, a taxa de 6,27% e 10,99%, na comparação do quarto trimestre de 2020 contra o mesmo período de 2019. Enquanto isso, as atividades da Construção e SIUP (Serviços Industriais de Utilidade Pública) apresentaram, respectivamente, quedas de -4,02% e de -18,31% no mesmo período.

O setor de Serviço totalizou o volume de R$14,5 bilhões, com crescimento de 4,16% na comparação entre o quarto trimestre de 2020 e igual período em 2019. O crescimento se deve, principalmente, ao incremento do volume de vendas e na receita nominal do comércio varejista que, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indicou que o subsetor alcançou um crescimento de 11,32% (volume de vendas) e de 19,52% (receita nominal), na comparação com o quarto trimestre de 2019. Em 2020, o setor alcançou o valor de R$54 bilhões.

A Agropecuária apresentou um crescimento de 1,15% na comparação do quarto trimestre de 2020, quando passou de R$1,434 bilhão do quarto trimestre de 2019 para R$1,451 bilhão no quarto trimestre de 2020. De acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), mesmo com a queda das demais lavouras no período, a produção de cana de açúcar, milho e arroz cresceram 3,51%,1,05% e 0,10%, respectivamente. Durante todo o ano de 2020, o setor alcançou o valor de R$5,393 bilhões.

Todos os históricos do PIB do Amazonas e dos municípios podem ser conferidos no site da Sedecti em: www.sedecti.am.gov.br na aba “Indicadores e Mapas”.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email