Peugeot Citroën fatura mais de US$ 15 ­bilhões no trimestre

O segmento automobilístico do grupo PSA Peugeot Citroën fechou o terceiro trimestre de 2007 com faturamento de 10,9 bilhões de euros (US$ 15.6 bilhões), o que representa um crescimento de 12,2% em relação ao terceiro trimestre de 2006. No acumulado dos nove meses, o faturamento foi superior a 35 bilhões de euros, um aumento de 7,3% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado, de 32,7 bilhões de euros.

Em nota a empresa informou que o forte crescimento do terceiro trimestre foi puxado pela alta de 14,4% do faturamento dos veículos novos, resultante principalmente da progressão dos volumes, do efeito dos preços e do mix de produtos favoráveis. “Houve um aumento do mix de produtos e dos preços de 3% e 1,4%, respectivamente, confirmando a tendência já observada no primeiro semestre”, afirmou.

De julho a setembro de 2007 os volumes vendidos alcançaram 783.600 veículos, dos quais 734.600 são veículos montados e 49.000 são desmontados em kits, o que representa uma alta de 11,9% em relação ao terceiro trimestre de 2006. No acumulado dos nove meses, as marcas Peugeot e Citroën comercializaram 2.547 milhões de unidades, das quais 2.405 milhões foram veículos montados e 142 mil foram kits CKD, com alta de 3,4%.

Na Europa Ocidental as vendas de carros de passeio e veículos comerciais leves das marcas Peugeot e Citroën cresceram 0,8% até setembro. O grupo registrou uma participação no mercado de 13,9% no fim de setembro, ante 13,8% no mesmo período de 2006. As vendas dos nove primeiros meses do ano alcançaram 1,740 milhão de unidades, um aumento de 2,5%.

Participação de mercado

No Mercosul, os resultados dos nove primeiros meses do ano revelam um aumento de 24,3%, com 152.900 unidades. O grupo melhorou sua penetração no mercado argentino, que atingiu 14,9%, com a venda de 59.800 unidades. No Brasil, as vendas atingiram 91.300 unidades, e participação de mercado de 5,4%.

Na China o grupo registrou aumento das vendas de 3,8% em nove meses, com 151.500 unidades, e a participação no mercado chinês foi de 3,9%. Na Rússia as vendas acumuladas até setembro tiveram alta de 31,9%, totalizando 28.000 unidades.

A empresa informou ainda que as previsões são de crescimento no quarto trimestre do ano, em relação ao mesmo período do ano passado, porém, em proporções menores do que o registrado no terceiro trimestre.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email