Petróleo bate recorde pelo 3º pregão em Nova York

Pelo terceiro pregão consecutivo, a cotação do petróleo bateu recorde nos mercados de Nova York e Londres, aproximando-se ainda mais dos US$ 100. A desvalorização do dólar em relação ao eu-ro e a suspensão de parte da produção da Pemex, a estatal petrolífera mexicana, foram os principais motivos para a alta de ontem.

A valorização no mercado de Nova York foi de 1,82%, e o produto encerrou o dia cotado a US$ 93,53. Essa é a terceira sessão seguida em que o produto termina o dia valendo ao menos US$ 90. Há um mês, o produto era vendido a US$ 81,66.

Em Londres, o barril chegou a estar cotado acima de US$ 90, porém recuou e terminou a sessão valendo US$ 88,69, com alta de 1,84% ante sexta. Na comparação com o mesmo período do mês passado, o produto se valorizou em 14,08%. Em termos reais (levando em conta a inflação americana no período), no entanto, o recorde permanece com abril de 1980, quando o barril foi cotado em Nova York, a preços atuais, entre US$ 96 e US$ 101, dependendo do ajuste utilizado. Uma das principais preocupações deontem foi a decisão da Pemex de suspender parte da sua produção, devido ao mau tempo no golfo do México, onde estão concentradas as principais reservas do país.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email