Pesquisa sinaliza bons resultados para os lojistas de Manaus

Mesmo com o período de férias e sem datas comemorativas expressivas, a expectativa do comércio é de bons resultados em julho, conforme avaliação da Fecomércio/AM (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Amazonas).
O otimismo da entidade é baseado na pesquisa divulgada ontem que avalia a intenção de compras e o grau de confiança do consumidor. Conforme os dados, 63,2% dos entrevistados se mostraram confiantes com a economia do Amazonas e 53,3% acreditam numa situação econômica ainda melhor no próximo semestre. A pesquisa constatou que as intenções de compra para julho foram mantidas, com destaque para vestuário (22,3%), calçados (15,5%), utilidades domésticas (10,5%), materiais de construção (5,3%), celulares (4,5%) e móveis e decorações (4,3%).
Outro fator que deverá incrementar o desempenho do varejo será o pagamento da primeira parcela do 13º. “Além da confiança do consumidor, a perspectiva é boa, sobretudo porque essa semana sai a primeira parcela do 13º, cujo pagamento estava previsto apenas para o fim do mês por parte do Governo e da Prefeitura. Essa mudança é animadora para nós”, avaliou o assessor econômico da Fecomércio/AM, José Fernando da Silva.
De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio Varejista do Estado do Amazonas, José Azevedo, essa injeção de dinheiro vai servir para irrigar a economia. “Com dinheiro no bolso o consumidor pode optar por comprar ou quitar dívidas para restabelecer crédito”, explicou.
“Ainda que seja utilizada para pagar dívidas, conforme previsões anteriores, a primeira parcela do 13º abre a perspectiva do consumidor de, já com o nome limpo, abrir novos crediários e seguir comprando”, complementou o conselheiro do Corecon/AM (Conselho Regional de Economia do Amazonas), Edson Nogueira.
Segundo o economista, existem ainda outros elementos que podem segurar a performance do varejo. “São os relacionados ao quadro econômico estável, como taxas de desemprego menores, estabilidade no emprego e aumento da renda do trabalhador”, finalizou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email