Pesquisa no interior ganha R$ 18 mi

A Sect/AM (Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do Amazonas) está investindo R$ 18 milhões na construção e operacionalização de 12 centros de pesquisa denominados CVTs (Centros de Vocação Tecnológica) no interior. O centro de Manacapuru (distante a 68 km de Manaus) foi instalado neste ano e, até dezembro, São Gabriel da Cachoeira (a 858 km de da capital) deve ter sua unidade inaugurada.
De acordo com o secretário-adjunto da Sect/AM, Waltair Machado, os CVTs terão como prioridade desenvolver as potencialidades de cada município contemplado. “Temos muitas linhas de pesquisas que não são co­bertas pelos institutos de pesquisas existentes. Os centros suprirão essa demanda reprimida de cada município, além das zonas rurais próximas”, afirmou Machado. A formação de profissionais especializados também será apoiada pelos centros que, juntamente com a unidade da UEA (Universidade do Estado do Amazonas), auxiliarão na fixação de pesquisadores re­sidentes e atuantes na sua cidade de origem.
Os técnicos da secretaria viajaram ontem para Brasília para acordar com o MCT (Ministério de Ciência e Tecnologia) os últimos pontos do projeto para definir as próximas cidades e garantir os recursos financeiros. A origem dos recursos é mista, dividida entre Estado e União, porém a secretaria não informou o percentual que cabe a cada parte.
Os principais focos de abordagem dos Centros de Vocação Tecnológica serão fruticultura, piscicultura, produção de óleo vegetais e biotecnologia, de acordo com o chefe do departamento de apoio à pesquisa e inovação da Sect/AM, Silvana de Oliveira.

Tecnologia promissora

A possibilidade de introduzir um medicamento em determinada célula do corpo humano para tratar doenças com precisão atômica; criar uma fibra vegetal mais resistente que o aço ou fabricar uma supercola que adere a qualquer superfície são apenas algumas das aplicações que os estudos em nanotecnologia desenvolvidos por pesquisadores amazonenses prometem para os próximos anos.
O pesquisador nas áreas da física e matemática e secretário-adjunto da Sect/AM, Waltair Machado, considera a ciência aplicada em projeção nano a tecnologia do futuro. “Dentro de 20 anos, praticamente todos os avanços científicos estarão ligados de alguma maneira à nanotecnologia. Temos que investir nisso hoje para não dependermos da compra de tecnologia de outros países amanhã”, finalizou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email