Pesquisa elaborada pelo Banco Mundial analisa o ambiente de negócios em 190 países, incluindo o Brasil

“Fornecer uma base objetiva para o entendimento e a melhoria do ambiente regulatório das empresas no mundo inteiro”. Essa é a máxima que norteia o relatório `Doing Business´ (DB), elaborado desde 2002, pelo Banco Mundial e que analisa e compara as regulamentações aplicadas às pequenas e médias empresas ao redor de 190 países. O relatório auxilia as nações na correção de entraves burocráticos que emperram o desenvolvimento de um ambiente de negócios saudável e próspero aos seus países. 

Na edição de 2020, o relatório aponta que o Brasil ficou na 125ª posição. Se compararmos com os países do BRICS-Índia, o país é o pior mercado para se fazer negócios, já que a Índia alcançou a 100ª posição; África do Sul, 82ª; China, 78ª; e Rússia 35ª. Se trouxermos essa realidade mais pra perto, observando os países da América do Sul, a situação não melhora pra gente, pois a Argentina ficou em 117ª; Colômbia, 59ª; Peru, 58ª; Chile, 55ª; e México, 49ª.

Focando no microambiente econômico, o Banco Mundial foi mais afundo e desenvolveu o relatório `Doing Business Subnacional Brasil´, que antes contemplava apenas São Paulo e Rio de Janeiro. A coleta dos dados dos estados nacionais começou em fevereiro de 2020 – em plena pandemia da Covid-19 – num momento em que os negócios foram severamente afetados. 

Publicado em junho de 2021, o relatório incluiu cinco indicadores do ambiente de negócios: abertura de empresas; obtenção de alvarás de construção; registro de propriedades; pagamento de impostos; e execução de contratos. O tópico execução de contratos mede o tempo e o custo da resolução de uma disputa comercial entre duas empresas locais; além de elaborar um índice de qualidade dos processos judiciais, medido pela adesão a boas práticas internacionais. 

Os resultados? Mostram que há muito a se fazer! Ficou constatado que nenhum dos estados brasileiros apresentou todas as boas práticas necessárias para incentivar o empreendedorismo. 

De acordo com João Felipe, assistente técnico da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SEDECTI), no Amazonas, a pesquisa terá um segundo estágio e poderá ser acessada por qualquer pessoa. “A análise comparativa feita pelo Departamento de Atração de Investimento e Comércio Exterior (DAICE) está sob análise, em seguida haverá o segundo estágio de recomendação e implementação de mudanças para melhoria de processos em prol do desenvolvimento do estado”.

E se você quiser conhecer o estudo, é só acessar o link (https://bityli.com/JwLarS). 

Marca de sapatos amazonense expande negócios com microfranquias 

Pensa numa mulher que não ama sapatos? Essa foi bem difícil, hein?! E, aliando o desejo feminino e o crescimento nos negócios, a estratégia da “Sapatinho de Luxo”, marca genuinamente amazonense e com mais de 20 anos no mercado, mira no crescimento por meio de microfranqueados espalhados por todo o território nacional, menos nos lugares em que há lojas físicas da marca. 

E é tão bacana a estratégia que o interessado pode operar como Microempreendedor Individual (MEI), com a vantagem que ele terá todo o suporte da Sapatinho, como treinamento, marketing e demais benefícios. A meta para os próximos anos é ambiciosa, já que a marca pretende chegar a 3 mil franqueados. Essa é uma ótima oportunidade para quem precisa trabalhar, para quem quer investir num negócio e não tem muitos recursos financeiros e para a rede, que pode crescer estendendo os negócios para outras localidades e nichos de mercado sem investir em infraestrutura física. 

Campanha de marketing do Burger King foca no relacionamento e recompensas 

A bambambã dos hambúrgueres tem uma novidade pra lá de deliciosa pra quem ama saborear os quitutes da rede e, ainda por cima, adora economizar uma grana! Olha só, participando do Clube BK o consumidor poderá acumular pontos e trocá-los por recompensas, o que permite até que os clientes saiam da loja sem pagar!

Funciona assim: com o aplicativo Clube BK (iOS ou Android), primeiro programa de fidelidade de uma rede de fast-food no Brasil, os consumidores vão acumulando pontos conforme as suas compras e trocam por recompensas. A estratégia de rede é engajar o cliente criando um relacionamento mais personalizado. Mas, apesar de a campanha ser para todo o território brasileiro, o cliente precisa verificar as lojas participantes. Para resgatar os prêmios, basta o consumidor escolher a guloseima pelo app e gerar um QR Code, mostrá-lo ao atendente ou nos totens de autoatendimento e pronto!

RÁPIDAS & BOAS 

A FAPEAM está com inscrições abertas para o Programa de Fixação de Recursos Humanos para o Interior: Mestres e Doutores por Calha de Rio (Profix-RH) e o edital é do Governo do Amazonas. O prazo para submissão segue até a segunda-feira (6), às 17h, online, via SigFapeam (www.fapeam.am.gov.br).

*********************************

Na quinta-feira (9), às 17h, acontece o iTech Day, evento da série Tech Talk, da FPF Tech, e que irá apresentar outros temas nos próximos três meses. Nessa edição, o prof. André Carvalho, coordenador do curso de Engenharia de Software do IComp/Ufam, abordará a palestra “Deep Learning: Não é feitiçaria, é tecnologia”. A inscrição é gratuita e pode ser feita pelo link (https://bit.ly/InscriçãoTechTalks_iTechDay_InteligênciaArtificial). 

*********************************

Parceria entre o SEBRAE e a Bossanova, por meio do Startup Invest Summit, irá viabilizar R$ 15 milhões para a aceleração de 50 startups de todas as regiões do Brasil. Não há custo para a participação, basta preencher o formulário de inscrição, que vai até a sexta-feira (10), acessar o link (https://bityli.com/wRIsT) e fazer a inscrição. 

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email