15 de abril de 2021

Pesquisa com embalagem auxilia na conservação de pescado

A carne de peixe, além de saudável, é uma ótima fonte de proteína e vitaminas

A carne de peixe, além de saudável, é uma ótima fonte de proteína e vitaminas. No Amazonas, o projeto “Avaliação da qualidade de filés de pirarucu refrigerados e embalados sob atmosfera modificada” observou a avaliação de melhores formas para a conservação do alimento.
A pesquisa foi tema da dissertação de mestrado do pesquisador Marcondes Agostinho Gonzaga Júnior, da UFRG (Universidade Federal do Rio Grande), por meio do RHPOSGRAD (Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós-Graduados) da Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas).
Sob orientação do doutor em Engenharia de Alimentos, Carlos Prentice-Hernández, o pesquisador verificou a aplicabilidade de um sistema que prolongasse a vida útil dos “filés de pirarucu” embalados, destinados ao consumo após dias de armazenamento.
De acordo com Júnior, as embalagens de alta densidade do tipo etileno-álcool-vinílico somadas a uma mistura otimizada de gases como oxigênio, nitrogênio e gás carbônico estenderam o prazo de vida útil do “filé” do pirarucu por até 45 dias. “Quando bem acondicionado em refrigeração adequada, a média de conservação era de 14 dias. Houve um aumento aproximado de 30 dias com essas novas embalagens”, explicou.

Qualidade do produto

Durante a pesquisa, as amostras foram submetidas a seis tratamentos e quatro atmosferas para se chegar ao resultado encontrado. Com as pesquisas, verificou-se que há condições de se obter o pescado num determinado local e o processamento da carne ser realizado em outra localidade, sem perda da qualidade do produto.
“O Amazonas tem grande potencial no pescado. Este processo garante um consumo seguro, pois mantém a qualidade do pescado ao proporcionar maior número de dias de conservação”, assegurou o pesquisador.
Durante o Aquaciência (Congresso Brasileiro de Aquicultura), realizado em Recife-PE no início de setembro, o pesquisador afirmou que o trabalho foi selecionado entre os cinco a serem apresentados no evento.
“O trabalho teve grande aceitação, principalmente do setor econômico. Para se ter uma ideia, a apresentação ocorreu no último dia de congresso e várias pessoas continuaram presentes”, destacou.
Segundo Júnior, a empresa Delicatessen pescados da Amazônia já encampou a ideia das embalagens e a pesquisa continuará com outras espécies de peixe da região e o apoio da Fapeam. “A Fundação é fundamental para o desenvolvimento de pesquisas na região Norte”, destacou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email