Pesque e Pague San Diego completa 20 anos

Verão amazônico a pleno vapor, então, que tal passar algumas horas pescando e, melhor ainda, sabendo que o lago à sua frente está repleto de tambaquis, matrinchãs, tucunarés e acarás? É assim mesmo no Pesque e Pague San Diego, na AM-010, km 35, que este ano está completando 20 anos e trazendo novidades até o final do ano.

“Nessas duas décadas de existência só paramos por uns dois anos, porém, há sete voltamos, então muita gente, ao passar pela estrada, ainda acha que não estamos funcionando, mas pode vir aqui, de quinta a domingo, das 7h às 18h que, além de estarmos com o pesque e pague, sempre lançamos alguma novidade”, falou o empreendedor Diego Barroncas, que está à frente do empreendimento iniciado por seu pai, Hélcio, hoje apenas observando o desempenho do filho.

O Pesque e Pague San Diego está localizado num belo terreno de terras altas e baixas, com 97 ha de área onde destaca-se o lago imenso, no qual estão os peixes para serem pescados e 16 tanques menores onde Diego cria os espécimes desde filhotes, também vendidos para os supermercados de Manaus. Um dos tanques é somente para pirarucus, que não fazem parte do pesque e pague.

“Como o pirarucu é um peixe grande, fica mais difícil a sua pesca, mas iremos inaugurar um tanque onde eles serão pescados apenas por brincadeira. Colocamos um peixe na ponta de uma corda, amarrada numa vara, então ele pula de dentro d’água para pegar o peixe. O animal não se machuca, é alimentado, as pessoas se divertem com a ‘pescaria’ e ainda conhecem a força que o animal possui”, destacou.

 Área para redário

E quem quiser praticar a pesca esportiva, essa é outra opção de diversão oferecida no San Diego.

“Tucunaré é o que não falta nas águas do lago”, informou.

Se afastar do barulho e da bagunça da cidade, além de ficar em contato com a natureza do local é uma dica para quem não quer saber de pescar. Uma pista, cheia de altos e baixos, circunda toda a área onde fica o lago e os tanques. Trata-se de uma pista para quem realmente está a fim de caminhar. Ao longo do percurso, garças, patos selvagens e outras aves selvagens fazem parte do cenário.

Na área mais afastada de onde fica o estacionamento, o bar, o restaurante e as pequenas cabanas individuais para a pesca, a mata ainda é fechada e praticamente intocada. A área fica de frente para o lago e possui uma faixa de areia entre estas. Naquele espaço, Diego pretende construir cabanas individuais com armadores de rede. Nas proximidades ele também irá construir um pequeno bar servindo cervejas, drinks, coquetéis e petiscos para quem estiver desfrutando das barracas individuais.

Cabanas individuais para quem gosta de concentração – Foto: Divulgação

“Será um espaço para descanso e relaxamento onde as pessoas poderão até dormir em meio às árvores e o silêncio do lugar. As cabanas serão afastadas umas das outras, em toda essa extensão do terreno, para que cada um tenha maior privacidade”, adiantou.

Atualmente, pescadores solitários já desfrutam daquele espaço distante de onde fica o maior alvoroço, tendo à sua disposição um lago com uma lâmina d’água de oito hectares e milhares de peixes.

“Acredito que tambaquis devam ter uns 60 mil peixes; matrinxãs, uns 50 mil; tucunarés e acarás por aí, também”, disse.

“Acredito que tambaquis devam ter uns 60 mil peixes; matrinchãs, uns 50 mil; tucunarés e acarás por aí, também” – Foto: Divulgação

Mais novidades

Voltando ao pesque e pague, Diego explicou que se trata de uma diversão para a família onde pais e mães pescam junto com os filhos. O quilo do que for pescado custa R$ 21,50 e o pescador tanto pode levar os peixes para casa quanto solicitar, por R$ 10, que seja preparado no próprio restaurante para ser consumido no local. O restaurante disponibiliza um cardápio onde não pode faltar o tambaqui assado, fresquinho, pescado na hora, ou a galinha caipira, criada solta no terreno, igualmente abatida na hora.

“Queremos que tudo aqui seja o mais natural possível e dentro da tranquilidade, tanto que evitamos superlotação de veículos. Quando atingimos o total de 40 veículos, os demais já não podem mais entrar, por isso o ideal é agendar a visita pelo 9 9236-8625 e segurar a vaga”, avisou.

Na pesca esportiva o pescador paga R$ 30.

O pesque e pague disponibiliza canoas e pedalinhos para quem quiser pescar no meio do lago. Para o pescador de primeira pesca, que não tiver os apetrechos, também são disponibilizados varinha de bambu e linha comprida.

“Três novidades que inauguraremos ainda este ano, do outro lado do lago, será uma piscina natural, cercada por areia, onde as pessoas poderão tomar banho e nadar sem perigo, pois não será funda. Nesse local já tem um pequeno parquinho para as crianças. Ao lado teremos uma área somente para as canoas e os pedalinhos. Um espaço, onde na época do meu pai, ficavam os quelônios, agora nadarão pirarucus e as pessoas poderão tirar fotos junto a eles”, concluiu.

Face e Instagram: Pesque e Pague San Diego. Informações e agendamento de visitas: 9 9236-8625.        

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email