Perda de incentivos freia otimismo

O setor de concentrados utilizados na produção de bebidas vem apresentando resultados positivos de acordo com dados dos Indicadores de Desempenho do Polo Industrial de Manaus. Mas, poderá ser prejudicado a partir de 31 de dezembro, com a perda de incentivos do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) concedido através do decreto nº 7.212/2010, caso não seja prorrogada sua vigência.
Com um faturamento de US$ 1.714 bilhão acumunalados até maio deste ano, cresceu 9,34% na comparação com US$ 1.568 bilhão registrado no mesmo período do ano passado. Estimulado por uma produção de 25 milhões de quilograma líquido, de janeiro a maio, sendo 26,94% superior aos 21 milhões de quilogramas líquido produzidos no igual período de 2012.
Em 2012, o faturamento do setor de concentrados ultrapassou US$ 4 bilhões e deverá alavancar o crescimento do segmento de bebidas em até 15% segundo, expectativa do presidente do Sindicato da Indústria de Bebidas em Geral de Manaus, Antônio Silva, que está otimista com os resultados da exportação do subproduto e na chegada do verão amazônico que também deverá aquecer as vendas. “Com a chegada do verão no Amazonas tende a estimular, tradicionalmente, a venda de bebidas e por consequência a fabricação dos concentrados, que são produtos de exportação, portando, o faturamento do segmento de bebidas deve chegar a um crescimento de 7% a 15% estimulado principalmente pela produção e venda das empresas fabricantes de concentrados”, avaliou.

Emprego e renda

A mão de obra empregada também cresceu. Até maio a média de postos de trabalhos gerados pelo setor foi estimada em 2.300/mês. Em dezembro de 2012, essa média foi de 1.731 empregos formais, ou seja, um crescimento de 32,87% em cinco meses. Existem aproximadamente 30 empresas com projetos aprovados para produção de concentrados no PIM, sendo a Recofarma Indústria do Amazonas (Coca-Cola) e a Pepsi Cola Industrial da Amazônia as mais conhecidas. A produção de concentrados para bebidas não-alcoólicas é a parte mais representativa do setor químico, que, por sua vez, apresenta participação média de 12% a 15% no faturamento global do PIM, informou a Suframa.
Projeto Red Bull
O projeto de implantação da Red Bull, fabricante mundial de bebidas energéticas, encontra-se aprovado pelo CAS (Conselho de Administração da Suframa) desde 28 de fevereiro de 2012. A empresa tem o prazo de três anos para implantar sua linha de produção, após aprovação no CAS. Estão previstos 79 empregos diretos, mas a expectativa é que a empresa possa adensar a sua cadeia produtiva no PIM, futuramente. O investimento fixo previsto é de US$ 111 milhões.

Liderança nas exportações

No Amazonas, o setor de concentrados está entre os produtos que lideraram as exportações para o mercado internacional durante o primeiro semestre do ano, ao lado das motocicletas e telefones celulares, todos produzidos no PIM, de acordo com o Mdic (Ministério de Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior). As vendas de concentrados utilizados na elaboração de bebidas foi 82,8% superior com o montante de US$ 143,4 milhões, na comparação com o registrado nos seis primeiros meses do ano passado. A Recofarma obteve destaque na alta das exportações do setor, apontada pelo CIN (Centro Internacional de Negócios).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email