Pequeno comerciante pode ter loja virtual antes do Natal

Uma loja virtual em apenas alguns cliques. Ideal para pequenos estabelecimentos do comércio e de serviços como lojas de roupas, farmácias, pizzarias, livrarias, floriculturas. Até mesmo profissionais autônomos podem utilizar a novidade, já que é preciso apenas o número do CPF.

Uma boa dica também para quem quer incrementar ainda mais as vendas de Natal, pois é possível montar a loja em poucos minutos e colocar 150 produtos em exposição, além da possibilidade de efetuar o pagamento de seus pedidos por meio de depósito bancário. O software foi desenvolvido pelo empresário Robson Sotero, da Hibris Comércio, que está há oito anos no mercado desenvolvendo soluções de tecnologia para pequenas e médias empresas na região de Bauru, no Estado de São Paulo.

O processo para obter a li­­­cen­­ça da WebLoja é muito sim­­­ples. Basta acessar o site da Hibris Comércio (http://www.hibriscomercio.com.br/webos/portal) e logo na homepage haverá indicações de como pro­­­ceder ao licenciamento, que cus­­­­­­­­­ta cerca de R$ 600. A mensa­­­li­­­da­­­de custa a partir de R$ 39 90, com contrato por um ano.

A partir daí, o administrador do sistema poderá configurar a loja de acordo com o gosto do proprietário, podendo, sempre que quiser, modificar as opções de leiaute, as informações de conteúdo e da­­­dos dos produtos cadastrados na WebLoja. “Pensamos em automatizar o processo de criação. Normalmente, o lojis­­­­­ta entrega o processo para uma empresa especializada de­­­senvolver o sistema da loja.

Com a WebLoja, essa etapa é eliminada. Normalmente esse trabalho leva três meses para ser desenvolvido, com o soft­ware é possível montar a loja em três minutos”, disse Sotero.

O empresário já investiu aproximadamente R$ 80 mil no desenvol­vimento do soft­ware. Atualmen­te já possui 38 sites no ar com essa tecnologia. Como é um software, todo o processo é feito via on-line, sem a necessidade de instalação de produtos. “O software funciona também como um catálogo. Não é necessário que o usuário coloque preços ou ferramenta de venda”.

O pedido concretizado é enviado a um banco de dados, onde ficarão armazenadas todas as informações sobre a compra. Além disso, é possível checar o CPF e o CEP de quem está comprando para evi­­­tar trotes e fraudes.

Segundo o empresário, outra vantagem é que a WebLoja tem uma tabela de fretes editada pelo cli­­ente, que pode trabalhar com valores para cidades, Estados ou até mesmo bairros.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email