PECUÁRIA – Ministro diz que fim de embargos para carne é ‘questão de tempo’

O episódio da vaca louca no país está superado para o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho. Segundo ele, é uma “questão de tempo” para que sejam retirados os embargos à carne bovina brasileira.
“Tenho esse assunto como resolvido. Temos conversado com país por país, mas temos procedimentos externos que precisam ser respeitados. Nós estamos fazendo contatos internacionais definitivos. O Brasil vai cumprir todo o mandamento que precisa ser cumprido e vai defender o que lhe pertence”, afirmou hoje o ministro, durante cerimônia de posse do novo secretário de política agrícola, Neri Geller.
As restrições ao produto brasileiro foram aplicadas após o governo anunciar, no início de dezembro, a identificação do agente causador da doença da vaca louca num animal morto no Paraná em 2010.
Desde então, dez países já impuseram algum tipo de bloqueio à carne brasileira.
“É uma ação que países adotam como defesa, para público interno, depois fazem levantamento, comprovam que o Brasil está embasado e fazem a liberação. É só uma questão de tempo, é o jogo”, afirmou o ministro.
Dos países que anunciaram barreiras, seis impuseram embargo total ao produto brasileiro, seja do animal vivo ou de carne congelada. São eles: Japão, África do Sul, Coreia do Sul, Taiwan, China e Peru.
Jordânia e Líbano aplicaram a restrição apenas para a carne proveniente do Paraná. A Arábia Saudita manteve apenas as compras do Pará. E o Chile restringiu a importação de farelos de osso e de carne.
O governo brasileiro defende que não há risco de contaminação e argumenta que, até o momento, a OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) manteve a classificação brasileira como de risco insignificante para a doença.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email