Parlamento Amazônico quer diagnóstico de vacinação

Os senadores e deputados integrantes do Parlamento Amazônico (Parlamaz) farão um diagnóstico da epidemia de covid-19 em seus países e das medidas de vacinação na região amazônica. O pedido foi feito pelo presidente do parlamento, senador Nelsinho Trad (PSD-MS), durante reunião do grupo nesta quinta-feira (4), destinada à eleição dos vice-presidentes do bloco. A situação da pandemia em cada país será discutida no próximo encontro do grupo, que deve acontecer no fim de março. 

“Proponho como pauta emergencial nos primeiros encontros a defesa da priorização dos moradores da região no processo de vacinação. Em função das distâncias e das carências, essas pessoas estão menos preparadas para lidar com a doença”, justificou o senador.

Vice-presidentes

Na reunião, foram escolhidos cinco vice-presidentes para o biênio 2021-2022.

Pelo Brasil, o representante eleito foi o deputado federal Léo Moraes (Podemos-RO). Os demais vices são os deputados Aleiza Alcira Rodríguez, da Bolívia; Juan David Velez, da Colômbia; Romel Guzamana, da Venezuela; e Gabriela Cerda, legisladora do Equador. 

Peru, Suriname e Guiana ainda não indicaram seus candidatos, que devem ser eleitos na próxima reunião.

Criado em 1989, o Parlamaz tem o objetivo de estabelecer políticas integradas entre os países, estreitando as relações sobre questões relacionadas à Amazônia e promovendo a cooperação e o desenvolvimento sustentável da região.

Crise sanitária e econômica

Nelsinho Trad enfatizou a importância do grupo diante dos impactos causados pela crise sanitária e econômica do coronavírus. Para ele, o parlamento representa um “um sopro de esperança em meio a uma das mais sombrias épocas da história”.

“O Parlamento da Amazônia nunca foi tão útil e necessário como agora. Em momentos de adversidade, a articulação e o trabalho em conjunto, fundamentos do Parlamaz, costumam ser poderosas ferramentas para superar obstáculos e promover o bem comum. Esse colegiado possui as condições objetivas para ajudar a região a ultrapassar este momento e lançar as bases para um futuro de desenvolvimento sustentável e de paz social”, ressaltou Trad.

O senador Paulo Rocha (PT-PA), assim como parlamentares da Bolívia e da Colômbia, também expressaram a importância global do parlamento.

“Uma região que é vista pelo mundo, com interesses voltados para ela, aumenta ainda mais a nossa responsabilidade”, disse o senador.

Gabriela Cerda, do Equador, falou sobre a importância de somar esforços para incentivar o cuidado da Amazônia. Segundo ela, todos os países participantes têm grandes inconvenientes com a exploração e a falta de atenção às zonas rurais. 

“Reitero essa aliança estratégica para que possamos nos unir e proteger os espaços de biodiversidade, espaços ricos em cultura, tradição e pessoas. Há necessidade de unir esses esforços para que possamos formular estratégias e assim possamos compartilhar experiências de cada região e alcançar uma visão global da nossa Amazônia”, afirmou a equatoriana. 

Venezuela

Durante a reunião, o grupo aprovou uma moção de congratulação à Venezuela pela ajuda humanitária ao estado do Amazonas. 

O pedido foi feito pelo deputado José Ricardo (PT-AM), com o objetivo de agradecer ao país vizinho pelo carregamento de 136 mil litros de oxigênio destinados a Manaus. 

As reservas de oxigênio do estado praticamente se esgotaram devido a uma segunda onda de covid-19, que sobrecarregou os hospitais da região.

Com informações da Agência Senado

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email