Paraná recebe investimentos de R$ 36,8 milhões do Incra em 2007

Somente com infra-estrutura foram beneficiadas 3.231 famílias em 15 projetos de assentamento novos e antigos.

O Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) investiu R$ 36,8 milhões no Paraná em 2007. De acordo com o superintendente do Incra, Celso Lisboa de Lacerda, esses recursos beneficiaram cerca de 4.000 famílias que vivem em 19 assentamentos e permitiram a construção de 3.787 moradias nos lotes da reforma agrária em 48 municípios no Estado.

São recursos federais que utilizamos na recuperação da infra-estrutura no campo, como abertura de estradas, construção de pontes, cascalhamento, perfuração de poços artesianos e distribuição de água.

Somente com infra-estrutura foram beneficiadas 3.231 famílias em 15 projetos de assentamento novos e antigos.

Foram construídos ou recuperados 308,86 quilômetros de estradas e construídas seis pontes, além de nove sistemas de distribuição de água relatou o superintendente Agência Brasil.

Ele explicou que os assentamentos asseguram o repasse de recursos federais e ajudam a movimentar a economia das cidades paranaenses. Como é o caso de Quedas do Iguaçu: com a instalação de 973 famílias no Projeto de Assentamento Celso Furtado, o município recebeu este ano R$ 2,3 milhões através do crédito apoio. Cada assentado recebe R$ 2,4 mil na modalidade de crédito de apoio para os primeiros gastos com alimentação e compra de material de trabalho necessário (fomento).

De acordo com Lacerca, a previsão dos investimentos no município ainda é maior. Para a produção nos lotes estima-se o acesso de R$ 19,4 milhões através dos primeiros créditos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

O superintendente lembrou que este ano o Incra no Paraná deu um passo importante para a resolução do maior conflito agrário existente no estado, adquirindo a fazenda Cajati, no município de Cascavel, na região Oeste. Na área de 964 hectares, serão assentadas 110 famílias.

Em dezembro de 2002, o Paraná abrigava 104 acampamentos de agricultores sem-terras, com cerca de 15,5 mil famílias acampadas, a grande maioria em situação de miséria. De 1995 a 2002, dezesseis trabalhadores rurais sem terra foram mortos em conflitos agrários.

Nesta época, os principais conflitos existentes no Paraná eram conhecidos como Araupel e Sete Mil. Esses dois acampamentos existiam há quase nove anos e, juntos, reuniam mais de três mil famílias recorda Lisboa.

Em 2007 o Incra obteve áreas para a implantação de 14 projetos de assentamento no estado. Outras três áreas estão tramitando no órgão e devem receber famílias assentadas ainda nos primeiros meses de 2008. Ao todo as áreas adquiridas pelo Incra somam 14,9 mil hectares e receberão quase 950 famílias.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email