Para Virgílio, decisão do PT de abrir mão da presidência foi “sensata’’

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), classificou como “sensata’’ a decisão do PT de abrir mão da presidência da CPI mista (com deputados e senadores) dos Cartões Corporativos. Com o recuo, a senadora Marisa Serrano (PSDB-MS) vai assumir a presidência da comissão que vai investigar irregularidades no uso dos cartões por integrantes do governo federal. O PT ficará com a relatoria da comissão, nas mãos do deputado Luiz Sérgio (RJ).
“Eles respeitaram a proporcionalidade, o direito da bancada do PSDB de indicar o presidente da CPI. Acredito que, com isso, se começa a estabelecer uma relação mais positiva entre a senadora Marisa e o deputado Luiz Sérgio’’, disse Virgílio. Responsável pelo acordo firmado com a oposição para que Marisa Serrano assuma a presidência da CPI, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) disse que o PT quis colaborar com o processo de investigação ao desistir do cargo. “O PT entendeu, colaborou. É importante agora investigarmos’’.
Jucá, que é líder do governo no Senado, negou que a bancada do PT na Câmara tenha ficado isolada nas negociações -o que teria obrigado o partido a desistir de trocar a relatoria da CPI pela presidência. “O PT participou o tempo todo dos debates. Houve a colaboração e o entendimento do PT. Vamos agir nas investigações’’, afirmou. A a decisão do PT de abrir mão da presidência da CPI mista foi conseqüência do isolamento da bancada do partido na Câmara, que insistiu na troca do cargo com a oposição mesmo sem o apoio de outras legendas da base aliada do governo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email