Pára-brisa temperado traz risco ao mercado

Mesmo com a regulamentação de novas normas para a segurança dos veículos, como a Resolução 216/06 do Contram (Conselho Nacional de Trânsito) de dezembro do ano passado, que fixa exigências de segurança e visibilidade, ainda circulam no Brasil milhares de veículos com pára-brisas temperados, o que pode colocar em risco a vida de muitos motoristas e passageiros.
Segundo estimativas da Saint-Gobain Sekurit, um dos principais fabricantes nacionais de vidros automotivos, hoje ainda são instalados mais de 1.000 pára-brisas temperados por mês.
“Um dos motivos para isso é que o consumidor ou proprietário do veículo desconhece a proibição de uso do produto e, no momento da substituição, muitas vezes opta pelo componente mais barato, sem saber que o mesmo está fora das especificações da legislação”, declarou Manuel Rezende Corrêa, diretor da Saint-Gobain Sekurit.

Produto deve ser checado

Uma vez instalado, é difícil notar se o pára-brisa é temperado ou laminado. Uma das maneiras de checar se o produto é laminado é ver se tem a banda degradé interna, pois o temperado possui um filme aplicado por dentro. Outra dica é a logomarca do fabricante impressa, item de segurança obrigatório como em pneus e nos cintos de segurança.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email