Papo logístico – para que serve o armazenamento?

Um pouco de história não faz mal a ninguém.

No antigo Império de Roma, na Grécia e no Império Bizantino, os militares em guerra já se utilizavam do processo logístico como uma forma de gestão. Com o passar dos anos, essa área de gestão começou a ser estudada e desenvolvida com o fito de agilizar o comércio internacional a medida que os países faziam negócios e houve necessidade de se criar normas e regras para fazer a armazenagem de cargas e seu transporte de forma adequada e segura.

O termo indústria significa a transformação da matéria prima em bens e produtos recorrendo à utilização de máquinas, a primeira notável modernização da atividade industrial ocorreu na Grã-Bretanha, com a revolução industrial, nas últimas décadas do século XVIII. Nessa época, avanços técnicos como a lançadeira rápida de tear, na indústria têxtil, reformularam as bases sobre as quais se assentava esse sector da economia.

Também no Reino Unido, começou, no século XIX, um processo de industrialização baseado na melhora do aço com que se construía grande variedade de máquinas. Logo o processo estendeu-se pela Europa e pelos Estados Unidos, que começaram a produzir industrialmente artigos manufaturados. Verificou-se portanto, que tanto para uma economia de mercado como para economias centralizadas é válida a lei segundo a qual cada unidade produzida será mais econômica quanto maior for a produção (até um certo ponto).Com este crescimento dos níveis de produção e circulação de mercadorias, surge a necessidade de transportar e armazenar os produtos de forma adequada – não só os produtos acabado para o consumidor final, como também as diferentes matérias-primas necessárias à laboração de outras indústrias que posteriormente também serão alvo de armazenamento e distribuição.

A Revolução Industrial

A Revolução Industrial foi um processo de grandes transformações econômico-sociais que começou na Inglaterra no século XVIII e se espalhou por grande parte do hemisfério norte durante todo o século XIX e início do século XX.O processo histórico que levou à substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e do modo de produção doméstico pelo sistema fabril constituiu a Revolução Industrial. O advento da produção em larga escala mecanizada deu início às transformações dos países da Europa e da América do Norte em nações predominantemente industriais, com suas populações cada vez mais concentradas nas cidades.

Causas da Revolução Industrial

A expansão do comércio internacional dos séculos XVI e XVII trouxe um extraordinário aumento da riqueza, permitindo a acumulação de capital capaz de financiar o progresso técnico e o alto custo da instalação nas indústrias.A burguesia europeia, fortalecida com o desenvolvimento dos seus negócios, passou a investir na elaboração de projetos para aperfeiçoamento das técnicas de produção e na criação de máquinas para a indústria. Logo, verificou-se que maior produtividade e maiores lucros para os empresários poderiam ser obtidos acrescentando-se o emprego de máquinas em larga escala.

Consequências da Revolução Industrial

O longo caminho de descobertas e invenções foi uma forma de distanciar os países entre si, no que diz respeito ao poder econômico e político, pois nem todos se industrializaram, permanecendo na condição de fornecedores de matérias primas e produtos agrícolas para os países industrializados.

 O QUE É ARMAZENAR

É o ato de guardar, conservar algo em armazém, aliás, esta é uma atividade bastante antiga. Poderíamos ampliar este conceito para aquilo que na prática de ser feito, ou seja: 

“Guardar material, respeitando suas características e necessidades, evitando as avarias e o descaminho de tal forma que possa ser utilizado no momento em que for requisitado.”

Definida por grandes autores que afirmam ser o processo logístico responsável por gerenciar eficazmente o espaço tridimensional de um local adequado e seguro, colocado à disposição para a guarda de mercadorias, que serão movimentadas rápida e facilmente, com técnicas compatíveis às suas respectivas características, de forma a preservar a sua integridade física e entregando a quem de direito no momento que for necessário.

A armazenagem é a guarda temporária de produtos para posterior distribuição. Os estoques são necessários para o equilíbrio entre a demanda e a oferta. No entanto, as empresas visam manter níveis de estoques baixos, pois estes geram custos elevados: custos de pedir – custos administrativos associados ao processo de aquisição das mercadorias; custos de manutenção – referentes a instalações, mão-de-obra e equipamentos; custo de oportunidade – associado ao emprego do capital em estoque). 

Princípios da Armazenagem

Existem muitas literaturas a respeito deste tópico onde seus autores descrevem, enumeram e opinam. Não há como discordar ou considerar este ou aquele conceito, pois todos são importantes e só funcionam se forem aplicados meticulosamente. Vamos aqui enumerar e explicar os mais citados: Princípio do Planejamento, Princípio da Simplificação dos Fluxos, Princípio da Integração, Princípio da Otimização do Espaço Físico e de Equipamentos, Princípio da Verticalização, Princípio da Automação, Princípio do Controle, Princípio da Segurança e Princípio do Preço 

Armazenar para suprir demandas futuras exige muitos cuidados principalmente para produtos que requerem cuidados especiais como por exemplo temperatura adequada dentro outros. Se você gostou deste artigo, saiba que no próximo estaremos esclarecendo cada princípio da armazenagem.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email