Panalpina lança novo produto

Com movimentação de 13 mil toneladas de cargas no ano passado, a suíça Panalpina, uma das líderes mundiais em serviços de logística e que atua há 30 anos no país, anunciou lançamento de novo produto, Carga Aérea Nacional, que deve gerar crescimento de 15% no volume de cargas movimentadas pela empresa em 2007 em relação a 2006.
Lançado no término do exercício anterior apenas em Manaus, a novidade deve ser estendida para todo o país até o fim do ano. Segundo o diretor-geral da Panalpina Brasil, Luigi Gonzáles, o produto foi apresentado inicialmente no Amazonas, e na sequência, em São Paulo, por serem os dois maiores mercados produtores de carga doméstica.
“São Paulo é considerado o maior centro de distribuição e onde há maior volume de cargas. É um centro consumidor e produtor. Manaus é forte em eletroeletrônicos. Por isso, decidimos operar primeiro nesses dois grandes pólos para então expandir para o mercado nacional”, destacou Gonzáles.
De acordo com a Infraero (Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária), o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes é o terceiro em concentração de volume de carga nacional, atrás apenas do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos e do Aeroporto Internacional de Viracopos/Campinas.
A diretoria da Panalpina Brasil explicou que Manaus, onde atua desde 1989, representa aproximadamente 15% dos negócios da multinacional no país em virtude do PIM (Pólo Industrial de Manaus).
Conforme disse Gonzáles, atualmente a empresa tem cerca de 20% do mercado local. Hoje, a partir desses dois pólos, a Panalpina opera para qualquer região do Brasil.
Dados da NTC (Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística), mostram que o país perde R$ 700 milhões por ano em furtos e roubos de cargas. Mais de 75% dessas ocorrências estão concentradas na região Sudeste. No Norte, de 2002 a 2005, o percentual cresceu 200%.
Sobre como a Panalpina lida com isso, o diretor-geral da empresa informou que conta com serviço próprio de armazenagem, o que proporciona maior segurança às mercadorias dos seus clientes.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email