As  interações humanas são baseadas em escutar, entender, acreditar e  respeitar. Você escuta qualquer um, basta ouvir, mas se não quiser prestar atenção, não vai entender e se não entender, não poderá acreditar, mas, se acreditar, poderá respeitar. Logo, a maior e mais importante forma de interação entre as pessoas é o respeito. Mas, eu, só respeito aquilo em que eu acredito. Havia uma propaganda ridícula na mídia televisa que dizia “tudo começa pelo respeito”. Piada, e de muito mau gosto. Coisa típica de mídia provocativa e sensacionalista. Pombas! Tudo termina no respeito, que é a maior demonstração de concordância e admiração com outra pessoa! Dia desses me perguntaram algo sobre a tal de homofobia.

Eu disse o seguinte: “jovem, existem dois tipos de pessoas- aquelas que possuem próstata e aquelas que possuem útero. Mas, cada uma é dona da sua própria vagina, esfíncter anal e pênis e devem sentir prazer sexual como quiserem!” Tudo certo, mas isso não quer dizer que são sexos diferentes, como querem impor na nossa cultura. Ah, sim! Tenho amigos e amigas gays. Nada contra ! Sou indiferente a isso. No entanto, quando mexe no meu orgulho brasileiro, aí a coisa muda de figura. Dia desses o Sr Alberto Ángel Fernández , presidente da Argentina, disse na mídia o seguinte: “”Particularmente, eu sou um europeísta. Sou alguém que crê na Europa, porque, sobre a Europa, escreveu certa vez Octavio Paz, que os mexicanos saíram dos índios, os brasileiros saíram da selva, mas nós – os argentinos – chegamos de barcos. E eram barcos que vinham de lá, da Europa”. Me senti ofendido? Não ! Porém, depois, ele se desculpou: “”Afirmou-se mais de uma vez que ‘os argentinos descendem de navios’.

Na primeira metade do século 20, recebemos mais de 5 milhões de imigrantes que viviam com nossos povos nativos. Nossa diversidade é um orgulho. Eu não quis ofender a ninguém, de qualquer forma, a quem se sentiu ofendido ou invisibilizado, desde já minhas desculpas”. Ele foi nobre! Gostei da atitude em se desculpar. Mas, fiquei pensativo sobre as nossas origens e em que isso nos diminui perante os europeus. Eu poderia lembrar que o povo norte-americano é oriundo dos ingleses e que tiveram que lutar muito para se tornarem independentes. Ou será que a origem dos chineses merecia um piadinha sem graça também? Ou será que os russos levariam na esportiva uma piada de um latino, contra sua origem? Enfim, muitos argentinos pensam que são brancos, mas quando vão aos EUA são tratados como latinos.

E em alguns lugares, ser latino é pejorativo. Diga em Paris que um francês é latino, apesar de ser verdade. Mas não confunda latino com hispânico. Em alguns países, isso dá briga. Mas, não estou fugindo do tema do artigo, estou, sim, abordando que temos que cultivar a tolerância em relação às nossas ideologias. Nada contra alguns amigos meus serem esquerdistas, outros comunistas, outros radicais de direita etc. Na verdade pouco me importa a ideologia dos outros. Não, na verdade não me importa em nada a ideologia dos outros. Eu tenho a minha e é isso que me interessa. Também, pouco me importou, de fato, as palavras do Presidente argentino, pois não me senti ofendido e ele disse como portenho e não como um político que acredita que a Esquerda presta e a Direita não presta. E como também havia lido o pedido de desculpas, assunto encerrado! E por falar em ideologia política, 2022 vem aí. E já tenho o meu voto pronto! Não pergunte a minha ideologia pois isso é invasão de privacidade e não pergunte meu voto pois  o voto é secreto! Vou abrir uma cerveja e a vida segue!

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email