PAC mantém falhas em transportes, revela estudo do Instituto Chain

O PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) até ampliou os investimentos em transportes, mas não atingiu o valor ideal e mantém erros do passado.
Essas são as principais conclusões do estudo elaborado por Paulo Fleury, diretor executivo do Ilos (Instituto de Logística e Supply Chain), no 15º Fórum Internacional de Logística. De janeiro de 2007 a junho de 2009, foram investidos no setor com o PAC Logística R$ 10 bilhões. Isso equivale a 10,4% do que está previsto até 2010.
“Se for mantido o atual ritmo de investimento nos 15 meses que faltam do atual mandato, o governo investirá mais R$ 7 bilhões. Ou seja, será um total de R$ 17 bilhões, pouco perto do que era previsto para ser investido até 2010, R$ 96 bilhões, e menos ainda no total do PAC Logística, que já soma R$ 132 bilhões. O próximo governo terá que assumir R$ 115 bilhões em investimentos”, disse.
Esses recursos, em sua opinião, são insuficientes para resolver os problemas do setor, que é mal avaliado pelos empresários.
Seu instituto fez uma pesquisa com os executivos de logística das 500 maiores empresas do país entre abril e junho e apontou que, de zero a dez, a nota média dos transportes do país foi 5,2. “Nas ferrovias, a nota foi 4,2, reprovamos”, disse.
Fleury afirmou que, além disso, o governo está gastando mal: dando prioridade a rodovias em detrimento de ferrovias e hidrovias.

Ferrovias sem estrutura

A pesquisa apontou que 22% das grandes empresas brasileiras tentaram utilizar ferrovias sem sucesso.Outras 16% utilizam o modal, mas não tanto quanto gostariam, por falta de estrutura.
Outro ponto da pesquisa indica que o Brasil tem uma rede de estradas, ferrovias, hidrovias e dutos menor que China, Rússia, Índia, Estados Unidos e Canadá, tanto em tamanho quanto em densidade, levando em conta os territórios dos países

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email