5 de março de 2021

Osmar Oliveira lança projeto ‘Minha Vida Música’

Não há quem não ‘viaje’ ao ouvir as músicas do grupo Raízes Caboclas, afinal, somos amazônidas, e elas são a cara da Amazônia e com um detalhe: praticamente todas as músicas de sucesso do grupo tiveram uma ‘pincelada’ de Osmar Oliveira, um caboclo amazônico que, no recesso forçado provocado pela pandemia do coronavírus, leva adiante seu projeto ‘Minha Vida Música’.

Osmar nasceu em Benjamin Constant, como os demais integrantes do grupo, que este ano completa 40 anos de existência, ainda em atividade. Foi curumim da floresta, ouvindo o som dos animais, tomando banho de rio e se impressionando com as histórias dos seres do mato contadas pelos mais velhos. Suas músicas são o que ele viu e vê no mundo que o cerca.

“O projeto ‘Minha Vida Música’ é um CD, com onze músicas, e áudios nos quais conto a minha história desde Benjamin Constant, até a chegada a Manaus e a minha vida atual realizando várias atividades, sempre envolvido com a música”, revelou.

Osmar Oliveira utilizou a quarentena para levar adiante seu projeto ‘Minha Vida Música’

As músicas do Raízes são únicas, as letras falando do homem do interior, o instrumental em muitos casos imitando o som da floresta e o ritmo característico.

“Sabe aquela música do Ataulfo Alves, ‘Meus tempos de criança’, onde ele diz que era feliz e não sabia? Pois foi assim comigo, em Benjamin Constant. Daí vem minha inspiração. Eu vivia em total contato com a natureza, tinha muitos amigos. Desde criança sempre fui envolvido com a música. Minha avó era rezadeira/curandeira e suas rezas, para mim, eram um canto”, lembrou.

“Durante anos pertenci ao coral Estrela, da Igreja Imaculada Conceição, cujo maestro era o frei Fulgêncio. Maior, organizei festivais de música e aquela variedade de ritmos ali da fronteira me influenciou bastante”, falou.

Instrumentos orgânicos

O CD do projeto ‘Minha Vida Música’, conta com a gravação de canções inéditas e regravações de grandes sucessos que marcaram a carreira de Osmar. Foi contemplado no edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais, da ManausCult, com recursos da lei federal Aldir Blanc, e já está em fase final de produção.

A obra traz composições poéticas consagradas, como ‘Amazonas Moreno’, quase um hino do Amazonas, além de ‘Cheiro de Caboca’ e ‘Cantos da Floresta’, resultados de uma rica parceria entre Osmar e Eliberto Barroncas, e ainda conta com outros compositores como Adalberto Holanda e Celdo Braga.

No Raízes Caboclas, além de compositor e uma das vozes do grupo, Osmar é percussionista, fazendo sons principalmente com o pau de chuva e chocalhos indígenas.

“Quem cria aqueles instrumentos, os chamados instrumentos orgânicos, feitos com materiais da floresta (sementes, cabaças, cuias, palhas), é o Eliberto Barroncas, depois eu os adapto para as músicas”, contou.

Foi esse diferencial, nas músicas, nos trajes e no instrumental, que consagrou o Raízes até hoje, 40 anos depois e, apesar de vários de seus grandes sucessos se manterem em evidência, como uma marca que não sai, os benjaminenses continuam a produzir coisas novas até hoje, da mesma forma que antes. Algumas dessas novas composições farão parte do ‘Minha Vida Música’.

“Dessa vez, as minhas canções autorais inéditas vão ser gravadas e outras canções já consagradas vão ter uma nova cara, através da interpretação de amigos que fazem parte da minha caminhada e que muito me honra a homenagem deles.  Espero que as pessoas gostem, pois em cada letra e melodia, eu atribuí valores pessoais sobre a minha vida e o nosso Amazonas”, disse.

Outras edições

A produção musical de ‘Minha Vida Música’ é de Eliberto Barroncas, enquanto a curadoria e a produção executiva são de Jean Antunes, que dividiu a obra em três momentos: o primeiro com as composições inspiradas na natureza amazônica; o segundo traz o folclore amazonense, dada a rica experiência de Osmar com os movimentos folclóricos em Benjamin Constant; e o terceiro e mais atual, traz a experiência com a música experimental, orgânica. Osmar acompanhou o trabalho de estúdio remotamente.

“A última fase foi elaborada com instrumentos e sons que proporcionam uma experiência inédita, sempre inspirada nos elementos da floresta amazônica, na imensidão das águas, nas árvores, nos pássaros que entoam os cantos da floresta. Todo o trabalho vem sendo feito com muita dedicação e para contemplar o sonho de Osmar: eternizar suas canções e seu legado”, explicou o curador/produtor.

“Devido à pandemia, tivemos que dar uma parada na produção do CD, mas ele está praticamente pronto. Assim que a situação volte a se normalizar, concluímos os trabalhos. Depois, quando a pandemia for embora de vez, pretendo reunir um grupo de músicos para realizar shows pela cidade e no interior do Estado, como fazemos há 40 anos”, adiantou Osmar.

“Com o desenvolvimento do trabalho notamos a necessidade de estender essa homenagem a outros mestres da cultura popular e vimos a oportunidade de continuar com o projeto ‘Minha Vida Música’. Então, em breve teremos mais edições dele para contemplar outros grandes artistas da nossa região”, avisou Jean.

“Quando o CD estiver pronto, e os shows ao vivo ainda não forem permitidos, faremos uma live para mostrar as músicas para os fãs do Raízes”, finalizou Osmar.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email